Meu nome é Ricardo, tenho 21 anos, moro em Minas Gerais, quando faltava um mês para meu aniversário de 20 anos , me matriculei em um curso técnico durante a tarde, logo fiz amizade com Carlos e André.

Os dois eram primos, Carlos tinha 21 anos também, era negro, corpo atletico, alto, forte, cara de machão, falava grosso e virou meu amigo logo na primeira aula.

Já André também era um belo homem, pele um pouco mais clara, forte, não era muito alto, mais tinha um belo corpo, tipo malhado de academia, peito peludo, 19 anos e também fizemos amizade.

Na primeira aula já descobri que moravamos bem perto, cerca de três quarterões de distância, eu moro com minha familia, já eles moram sozinhos, apenas os dois em uma pequena casa, sem muitos móveis, apenas o necessário para viver.

Certo dia voltando do curso eles pediram que eu fosse na casa deles para fazermos um trabalho do curso juntos em grupo, chegando lá, logo que abriram porta senti aquele forte cheiro de macho, rustico e exitante.

Mais vale lembrar que até aí nunca tinha pensado em ficar com homens, apenas mulheres.

Chegando lá eles prepararam um pequeno lanche, comemos e fomos fazer o trabalho, eles me falaram que iríamos fazer no quarto deles pois lá tinha uma mesa e um computador.

O quarto era bem quente havia somente um ventilador e era abafado, logo começei a soar. Quando Carlos fala:

Carlos - Bom vou por uma roupa mais fresca.

André -Eu também está muito calor.

Logo começaram a tirar suas roupas, era visível meu nervosismo, pois fiquei sem graça, vendo os dois tirando suas roupas.

Carlos tinha um belo corpo, era mais forte do que eu pensava, barriguinha "tanquinho" e tava com uma cueca boxe que realçava seu penis, que por sinal tinha um belo volume.

Já André tinha pêlos bem destribuídos, pernas grossas, costas largas, musculos definidos e para minha felicidade tirou sua cueca, não sabia se olhava ou desviava meus olhares, mais pude ver seu dote que era lindo. Pêlos aparados, até bem grosso mesmo mole, etinha um belo saco ( adoro saco ).

Andre ficou sem camisa e apenas com um shortinho desses de jogador de futebol e sem cueca, dava pra perceber o formato de seu dote sobre o short.

Carlos tanbém sem camisa ficou apenas de cueca, que realçava seu dote. Logo perguntaram:

Carlos - Pode tirar a camisa e calça se quiser, esta muito quente, quer uma roupa emprestada?

André - É... se quiser eu lhe empresto temos corpo parecido.

Eu - Tudo bem, eu quero.André pegou uma roupa e me deu. Perguntei onde ficava o banheiro, e eles falaram pra mim trocar ali mesmo.

Com vergonha fui tirando a camisa, eu tinha até um belo corpo, não era malhado e nem muito musculoso, alguns pêlos no peito bem destribuídos, e meu dote tem uns 18 cm, braços fortes e pele clara.

Quando tirei as calças percebi que meu pau estava quase saindo da cueca, me sentei na cama para disfarçar mais certamente eles perceberam e o short era do mesmo modelo do de André, então ficou visível minha exitação.

Logo percebi que o voume de André aumentou, que desceu seu short e veio em minha direção. Pedi pra que ele parasse.

Eu - André. Por favor não sou dessas coisas.

André - Eu também não.Seu pau já estava duro, feito pedra.

Eu - Assim eu vou embora. - Chamei o Carlos.

Eu - Carlos... fale com André. Por favor. Carlos estava nú e se aproximava de mim.

Carlos - Então por que você está exitado Ricardo?Fiquei sem resposta. Os dois se aproximaram totalmente nús com suas belas picas duras em direção a minha boca.

A pica de Carlos era grande uns 22 cm, não tão grossa e cheia de veias, sua cabeça era avermelhada, e era bem reta, seu saco era menor em relação o de André.

Já André tinha uma pica grossa, mais lisa, sem muitas veias, um pouco torta, cabeça rosada, uns 18 ou 19 cm, seu saco era lindo, grande com bolas bem visíveis.

Chupei opau de André, com vontade, costava entra na minha boca, abri bem a boca e as vezes ele ainda forçava minha cabeça contra seu corpo fazendo seu pau entrar a força quase me engasgando, eu babava muito pois engasguei muitas vezes com as tentativas de André de fazer seu pau chegar em minha garganta, já Carlos tirou minha camisa e minha calça, começou a massagear meu pau e tirou minha cueca me deitando na cama enquanto André se sentou em cima de meu peito e eu o chupava.Carlos me chupou um pouco, e disse:

Carlos - Agora é minha vez André. Carlos sentou - se na cama e abriu as pernas, eu fiquei de quatro em cima da cama chupando seu belo dote, enquanto André do outro lado brincava com meu cuzinho, cuspia, enfiava seus dedos, primeiro foi um, dois, três, abrindo minhas pregas nunca violadas.

Logo estava mais relaxado, sentia meu cuzinho mais sensível, naõ demorou muito para André enfiar seu belo dote.

André – Relaxa Ricardo deixa eu te fazer mulher.

As primeiras enfiadas mesmo comigo bem relaxado, o pau de André entrou rasgando, sentia muita dor, mais o tesão do momento prevaleceu, lembro que gemia muito e alto ao mesmo tempo que chupava o pau de Carlos, André até parou por um momento pra por uma música e abafar meus gritos e gemidos, já que havia vizinhos bem perto.

André deixou meu cú bem flouxo, e trocou de lugar com Carlos, enquanto eu chupava o pau de André, Carlos penetrava fundo sem muita dificuldade, mais não com menos tesão por ter um pau maior parecia que meu cú não tinha fim.

O pau de André tava até latejando dentro de minha boca, sentia o gosto de seu pau misturado com o domeu cú, era inclível.

Trocamos de posição André deitou na cama, de costa eu sentei em seu pau e calvalguei, sentia minha bunda encostar em suas bolas, naquele momento entrava até o “talo”.

Carlos ficou de pé em minha frente e eu o chupava. Carlos não parecia ser tão ativo como André, sugeriu fazermos um “69”, deitou na cama, eu também deitei ao contrario e começamos a nos chupar, como tinha ficado por cima, André aproveitou a posição e me penetrou mais um vez.

Logo André sugeriu um “dp”, Fiquei com um pouco de medo mais concordei.

André deitou na cama, eu deitei em cima dele, ficando apoiado no seu peito forte e peludo e Carlos ficou por cima e lubrificou mais um pouco meu cuzinho com sua saliva, para receber os dois juntos.

Quando penetraram os dois de uma só vez não aguentei e gozei em cima de André, meu cú se relaxou ainda mais para se adaptar aos dois paus de uma só vez.

Eles metiam fundo parecia que já tava tudo combinado, naquele movimento de vai-e-vem os dois gozaram no meu cuzinho, fui a loucura nessa hora, sentir dois jatos fortes soltando porra quentinha no seu cú foi inesquecível.

Depois chupei os dois juntos e percebi que enquanto eu os chupava eles se beijaram.

Autor: Ricardo
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.