Ficamos ali na práia até o cair da tarde,quando estavamos entrando no carro um menino q deveria ter algo por volta dos 5 anos pedio 10 centavos para enteirar para ele comprar algo para comer,ai ele teve a idéa de levar o menino em um restaurante ali perto e deixou o menino pedir tudo o q ele quisesse.o menino parecia uma adolescente em um cabaré pela primeira vez ...querendo comer tudo.

O menino era bem engraçado e contava umas piadas hilárias.O menino olhou para ele e perguntou o q eu era dele.Ele respondeu:

_Vc acredita q eu tambem não sei? Nesse momento ele falou olhando para mim depois pairou um silêncio q gritava,logo quebrado por uma das piadas do garotinho.finalmente o garoto comeu ,ele deu uma grana para ele e fomos embora,pedi q ele fosse dirigindo novamente,assim q ele entrou no carro me deu um beijo bem calmo porem carregado de sentimentos,eu sentia tudo isso.

De alguma forma o beijo dele tinha uma coisa q se tornava único,senti aquela respiração q sempre q chegava perto de mais ficava ofegante,aquelas mãos q não sabiam direito por ond começar,aquele suor friu q escorria pela nunca dele.tudo isso fazia dos nossos encontros diferentes.

Durante o caminho de volta ele foi cantarolando uma música q tocava na rádio,era da k-sis, o nome da musica é beijos,blues e poesia.Uma bela canção.

Finalmente o deixei na rua de traz da q ele morava e me despedi com um breve beijo pois tinha umas crianças brincando na rua. Quando eu estava chegando em casa o meu celular toca era o vitor,perguntando o q eu iria fazer naquele dia,eu respondi q tinha uns compromissos mas não dei detalhes.Ele entendeu.

Naquele dia eu tinha q sair com a minha namorada,precisava realmente organizar as idéas.Uns minutos depois o vitor volta a ligar eu logo atendo e ele diz:

_Ei truta vc tem namorada neh ?

_Sim tenho.

Vamos leva nossas namoradas no cinema hoje?Nós já aproveitamos e saimos juntos.

Eu achei uma boa idéa.

Combinamos de nos encontrar as 20 horas em frente ao cinema do shopping. Liguei para minha namorada e a avisei da programação para aquela noite. As 19 e meia estava eu ná porta dela businando feito um louco,ela estava me fazendo esperar porq não estava encontrando o brinco rosa dela. Vai tomar no cú caralho.

Foi justamente isso q eu disse pelo celular. Entrei na casa dela e mandei a mãe dela avisar q se ela não descesse dentro de 2 minutos q fosse sozinha para o cinema.

No mesmo instante ela desceu(ignorância sempre fuincionou com ela). Durante o caminho eu mal dava atenção ala,com aqueles papos de mulher,ai meu cabelo,ai meu salto ,ai meu anél,eu estava irádo.Chegamos no cimena um pouco atrasados e encontramos o vitor com uma guria lá na porta,por coincidência nossas namoradas eram amigas da faculdade.

Elas escolheram um filme tipo esses de comédia romantica ,um pórre! q filme ruim!Chamei o vitor para ir no banheiro e deixar aquelas duas lá no puleiro delas.entramos no banheiro q fica no corredor do cinema.só tinha nós dois lá e logo o vitor disse:

_Lugares inuzitados me enchem de tesão.Eu dei uma risada e continuei na minha. Ele entrou em um dos sânitários resevados e disse.

_Vem me dar esse cuzinho aqui.

E abriu o ziper da calça jeans,deixando um pouco a mostra uma cueca vermelha e um pau q estava louco para pular dali.

Aquela atitude inesperada estava me dando um tesão louco,mas mesmo assim êxitei em entrar ali,afinal poderiamos ser fragrados lá e não seria nada agradável se isso acontecesse,ele inssistiu.

_Cara vc vai me deixar nessa é? Deixe de ser medroso e vem rebolar aqui.

Do jeito como ele falava isso,olhando com aquela cara safada acho q nem o brad pitt diria q não,imagine eu.

Entrei no resevado e ele fechou a porta,como tanto eu quanto ele somos bem malhados estavamos quase q espremidos naquele lugar (melhor assim pois sentiamos o corpo um do outro melhor).Tirei a camisa dele e dei uma lambida no mâmilo dele e em seguida um beijo na boca. apoiei minhas mãos na parede e ele desceu minha calça e meteu-me sem pena.

Eu já estava me acostumando com tudo aquilo entrando em mim,ele metia com tanta força q dava-se para ouvir o barulho do saco dele batendo na minha bunda,quem entrasse ali naquele momento logo se tocaria do q estava acontecendo mas para nossa sorte ninguem entrou.

Enquanto ele metia tocava punhata em mim bem gostoso e mordia minhas costas e meu pescoço.eu quase q pulava com os impulsos dele metendo,e na verdade o medo de alguem entrar ali foi o q deixou essa transa mais gostosa,pois a adrenalina que corria a velocidade da luz em minhas veias m deixava o meu tesão muito mais peceptivo.

Ele sentou no sânitário e eu sentei de frente para ele e fui cavalgando bem gostoso dando leves reboladinhas ,pois eu sabia q ele gostava.

O único problema dele é q quando ele está com tesão ele começa a gemer de mais.mas eu estava com tanto tesão q se elguem entrasse ali eu seria até capaz de chamar para se juntar a nós.

Continuei cavalgando e ele lambendo o meu peito, acabei gozando um litro de porra encima dele.Isso deu tanto tesão nele q ele gozou nesse mesmo instante.beijei ele e nos vestimos.ele abriu a porta e saio primeiro logo em seguida como ele tinha dado bandeira branca eu tambem sair,lavamos as mãos e voltamos para tentar não dormi vendo quele lixo (ou melhor, filme) .

Logo assim que sentamos a minha namorada questiona a nossa demora.

_Cale a boca e preste ateção no filme se não eu vou chamar o lanterninha.( falei em entonação de brincadeira,mas funcionou). no banco estavamos sentados assim messa sequencia:a namorada dele,ele minha namorada e eu.logo depois para minha sorte as pentelhas descidiram ir ao banheiro,eu logo pulei para o banco do lado do dele,ele disfaçadamente me deu a mão por baixo do braço do banco e ficou olhando para mim.

Não sei explicar mais de alguma forma eu sentia algo por ele,mas quando lembrava do marco meu coração batia mais forte.E mais uma vez eu acabava no labirinto. acabou o filme e nossas "namoradas" continuavam no banheiro,Ele ainda brincou dizendo q elas era duas sapatonas bulacheiras e estavam no maior agarro encima da pia(Eu já não duvidava mais de nada na vida).

Elas sairam do banheiro bem sérias,assim q minha namorada se aproxima ela logo percebe algo errado e diz:

_Q marca vermelha é essa aqui no seu pescoço?

Na hora eu procurei chão. O vitor ficou todo desconfiado. Eu enrrolei ela dizendo q algo havia me picado .e realmente eu havia levado uma picada bem dura alguns minutos antes.Ela meio q não engulio a história ,mais eu estava pouco me lixando para ela.

Saimos do cinema. eles queriam ir pára uma pizzaria,mas tudo o q eu queria era ir para casa e tomar um bom banho.Me despedi do vitor e sua namorada.e fui para o estacionamento.

Entrei no carro e minha namorada veio me beijar,eu correspondi ,ela começou a passear as mão em meu corpo,eu fiz o mesmo,mas logo senti q estava faltando musculos naquele corpo e não senti tesão nenhum.O q estava acontecendo? Até cerca de 6 dias atraz eu morria de tesão naquelas curvas,nos seios siliconados,no rostinho perfeito q ela tinha.Foi ai q percebi...Meu negócio era com macho sarádo.

falei a ela q não estava afim pois estava com uns probleminhas em casa,ela perguntou se eu queria conversar sobre,eu disse q não,mas q realmente eu teria q conversar com ela.deixei ela em casa e fui ligar para o marcos,quando coloco a mão no bolso cadê o meu celular?Acho que naquela agarração no banheiro eu devo ter deixado cair sem querer.puts era o q me faltava.

Quando entrei em casa o clima estava pesado,meus pais estava discutindo feio,eu não gosto de presenciar discurções deles.mandei um e-mail para o marcos avisando q eu iria passar na casa dele,se ele iria ler ou não a tempo de eu chegar lá eu não sei ,mas eu estava indo lá.

Cheguei lá e parei na frente da casa dele, já era por volta das 11 horas da noite.businei e quem atendeu foi o pai dele Q não tinha uma cara como eu imaginava,pensei q o pai dele fosse um homem com cara de mau bem gordo e cabelos brancos,mas não !

O pai dele é um coroa bom ,vaidoso pelo jeito cabelo loiro,olhos claro.Pedi para que chamasse marcos e ele o fez,algum tempo depois sai ele usando uma bermuda azul com uns detalhes em branco,uma regata preta,o cabelo estava com gel todo espetado.

Naquele dia ele estava lindo.ele entrou no carro me beijou e perguntou se eu estava com algum problema,falei a ele o q estava acontecendo em minha casa e q eu havia perdido o celular, ele lamentou a situação. Fomos no caminho conversando sobre isso. paramos na frente da minha casa.

Eu queria q naquela noite ele dormisse lá,pois eu queria dormi abraçado com alguem naquela noite,no começo ele achou essa idéa uma loucura,(mas quem foi q disse q eu estou em um estado de sânidade mental?) Falei a ele q de médico e de loucos todos tinhamos um pouco então q ele deixasse de léro e entrasse. ele aceitou.

Quando entramos estava tudo apagado,peguei na mão dele e o guiei rumo ao meu quarto,antes passamos na cozinha para pegar uns chocolates q eu lembrei q tinha e pelo os quais eu sou viciádo.

Ele sempre muito atencioso me abraçava e me beijava muito (em plena cozinha).De lá olhei para o quintal e lembrei do quarto da empregada q estava dezocupado, lá poderiamos conversar na boa sem se preocupar com barulhos.e foi para lá q fomos.

Entramos lá sentei na cama e ele sentou no chão.voltei para cozinha pois lembrei de um agarrafa de vinho q estava lá a algum tempo,pois meu pai é colecionador.peguei um vinho q nem olhei o nome e levei juntamente com duas tarças para o quarto. Já sabe ond isso acabou neh? Depois de 3 garrafas ficamos bebados,ele falou q estava com calor e tirou a camisa,eu perguntei se ele queria q eu o soprasse,ele riu.

Cheguei perto dele sentei no em seu cólo e lhe dei um beijo bem calmo.Ele tirou minha camisa e abriu o ziper da minha calça. Me levantei e fiz o mesmo nele. Só q esse dia seria tudo diferente deixariamos de transar pelo o lado carnal e transamos com os sentimentos a flor da pele.

Nos beijamos, ele estava o tempo todo com os olhos abertos,passava as mão nos meus cabelos,me beijava lentamente parava de me beijar e ficava calado olhando pra mim.Beijou meu pescoço subio até minha orelha e voltou pra minha boca.logo após deitei na cama e ele deitou do meu lado na direção oposta,ele pegou o meu pau e eu peguei no dele q estava durasso e latejava em minha mão. Comecei a chupar e no mesmo momento ele me chupou,estavamos fazendo um 69 bem gostoso.

Ele enfiava o meu cacete todinha na boca (nossa como ele fazia isso bem) de uma forma bem estranha eu me arrepiava.mudamos de posição,mas continuamos no 69,eu deitei na cama de barriga para cima e ele deitou-se sobre mim,ele ia enfiando o pau dele com foça na minha boca como se estivesse comendo o meu cú,aquele pau entrava na minha ganganta de uma forma tão ferós e tão doce ao mesmo tempo q eu estava curtindo cada minuto daquele momento.Ele continuava me chupando como nunca havia feito antes.

A lingua dele fazia movimentos circulares,vez ou outra ele tentava por todo na boca ( mas não conseguia ),ele chupava com muita vontade e gosto.

Ele virou de lado e meteu em mim agora em frango assado,ele metia sem pressa,e segurava minhas duas mãos e olhava bem dentro dos meus olhos.Ele fazia uma cara incrivel quando estava com tesão,aquilo não era sexo tava bem claro,era a fusão de duas almas,como uma vez uma cigana havia me dito "vc vai descobrir o seu amor verdadeiro dentro de vc",só q eu não esperava q fosse dentro naquele sentido rsrsrs.

Em momento nenhum ele soltou minhas mãos, só soltei por um instante pois enquanto ele me comia eu metia o meu dedo indicador no cú dele.Quando ele percebeu q iria gozar ele parou.eu estranhei.Ele ficou de 4 e disse:

_Direitos iguais para todos.

Meu coração bateu forte fiquei meio nervoso.

Meti nele bem devagar ele gemia muito e por alguns momentos tive pena,pecebi q era a primeira vez dele sendo passivo.Fui metendo cada vez mais rápido dei um arranhão bem forte nas costas dele q até sangrou,ele adorou,tirei o meu pau de dentro dele coloquei minhas mão nos ombros dele e o puxei bem rapido e meti meu pau todo bem forte.Ele soltou um:

_Ai cara devagar!

me excitou a bessa. Q bundinha gostosa ele tinha.a sensação de está desvirginando alguem é muito gostosa.as caras de dor,os gemidos meio que de sofrimento mas misturado com tesão é algo muito indiscritivel.

Dei uns tapinhas naquela bundinha branquinha com uma marca de bromze,ele pedia mais,eu dava.Naquele momento o tempo parou.só existiam nós dois no universo,eu era dele e ele meu.E lá estava ele todo frágil sendo penetrado pelo o meu pau inssassiável.antes de eu gozar tirei o pau.

Levantamos ainda nos beijando.empurrei ele na parede segurei suas mão contra ela,e continuei a beija-lo, virei de costas e eu mesmo enfiei p pau dele em mim.Deixei ele ali parado,eu q fazia todo o movimento de penetração de quando em quando eu dava umas reboladinhas e o pau dele meio q girava feito uma espirál dentro de mim.

com a mão esqueda ele puxou o meu cabelo e me deu um beijo enquanto o pau dele me rasgava por dentro, eu o beijava e gemia ao mesmo tempo.ele mais uma vez antes de gozar tirou o pau e ficou de frente para mim,olhou nos meus olhos,ambos estavamos com uma cara de quem havia acabado de chegar de uma guerra.o suor escorria pelo o rosto dele.ele passou a mão em minha testa limpou meu suor, me olhou nos olhos e logo me beijou e começou a bater punheta em mim,fiz o mesmo nele.

Estavamos nos beijando e gemendo ao mesmo tempo,nossa respiração foi ficando mais ofêgante eis q gozo um monte de porra na barriga dele e logo depois ele goza um leitinho quente e bem denso em mim.

Após gozarmos fomos para um banheiro q fica logo ali do lado do quanto da empregada (é um banheiro pequeno e simples.Com azuleijos brancos e umas flores de plastico empueirada.)Entramos lá e logo abrimos o box.Eu ainda estava meio tonto do vinho.

Em seguida ele entrou e eu fechei a porta do box liguei o chuveiro elétrico para perceber q este não estava funcionando,eu nem dei importancia,eu estava com tanto fogo q se saisse dalí água quente eu viraria um vulcão em plena erupção( na verdade era assim q o meu pau estava,parecendo um vulcão louco para jorrar rios de leite quente naquela carinho de homem mimádo).

Eu particulamente sempre fui muito issassiável sexualmente,e naquela situação em especial eu estava ainda mais,pois eu estava fugindo das regras naturais impostas pela sociedade.E como sexo com homem não era algo q eu estava hábituado a fazer eu poderia passar horas dando e comendo aquele cara. Peguei um sabonete liqüido q estava no armário do banheiro e comecei a emsaboar-lo,o interessante q o pau dele não descia,ficava alí feito um mastro apontado na diréção de quem ele queria comer(no caso eu).

Empurrei ele para baixo daquela agua fria e beijei ele q logo meteu o dedo no meu cú.Apoiei minhas costas na parede,levantei minha perna direita e ele logo veio metendo (essa posição foi legal porq foi como se fosse um frango assado só q de pé.).

Ele metia bem forte e bem rápido,eu estava apoiado com uma das mãos no vidro do box e este acabou não resistindo e raxou (eu nem me importei ,pois com ele eu quebraria o box, a pia, a mesa, as cadeiras e o centro antigo q tinha na sala...hummmmmmmm ainda não havia pensando nessa hipótêse.). Ele metia tudo de uma vez e eu dava puxões nos cabelos dele e de vez em quando ele dava lambidas em minha orelha. Ele tirou o pau de dentro de mim,eu tirei a camisinha e ele derramou um monte de porra na minha boca,ainda coloquei a lingua para fora para ele ver o q tinha acabado de fazer. Exautos. Fomos para o meu quarto. Subimos as escadas na ponta dos pés e resando para q minha irmã não tivesse aquelas crises q ela sempre tem de sonânbulismo.

Entramos no quarto ,fechei a porta e deitamos ambos de bruços olhando um para o outro,e foi assim q acabamos pegando no sono.Acordamos algumas horas depois como despertador do meu do meu novo celular q eu havia programado para 6 da manhã ( ou da madrugada).

Naquele dia a acadêmia só abriria a noite pois teria uma festinha de aniversário de um dos instrutores.Perguntei se ele queria ir a práia ou fazer algo só nós dois,ele respondeu q não estava muito afim porq estava explodindo de dor de cabeço (puta ressaca!).

Como eu estava com muito sono dei a chave do meu carro a ele e disse q o levasse lá para a acadêmia logo mais a noite.Ele pegou o meu carro e eu fui acompanhando até dezaparecer na quarta esquina.voltei para o quarto deitei e apaguei geral.Acordei as 4 da tarde com a minha mãe batendo na porta perguntando se eu iria viajar com eles para camburiú.Camburiú?Como assim? Eu havia esquecido dessa viagem,q ela já havia mencionado antes.eu disse q não iria.então ela ela respondeu:

_ENTÃO VC VAI ACABAR FICANDO AI SOZINHO.

Nossa !Final de semana com todos aqui em casa viajando............QUE CHAMEM OS BOMBADOS Q MINHA CASA VAI VIRAR MOTEL.Mas logo me bateu a duvida:quem chamar?Vitor?Luan? marcos? Larissa? (essa é minha namorada,e foi a primeira descartada da lista).

Autor: Junior
E-mail - back-to-you@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.