Todo mundo sempre tem uma boa história a contar sobre primos, afinal quem não tiver nenhum babado com eles que atire a primeira pedra. Pois bem, depois da festinha em Petrópolis Diogo voltou pra Santa Catarina, todo arronbado.

Eu e Rafal voltamos ao Rio de Janeiro e apesar de estarmos tão perto, não nos encontramos por uns 3 meses. Eu quis ligar sabe, mas não queria ficar parecendo um mané, um viadinho doido pra dar! Até que numa noite eu tava dançando com uns amigos lá na lapa e Rafael apareceu com uns amigos dele, agente juntou as rodinhas, coversamos, rimos, bebemos e a noite estava ótima.

Quando deu umas horas alguns começaram a se levantar e já estava bem tarde, então todo mundo decidiu ir embora. Rafael disse que estava de carro e que ia me deixar em casa, uma outra piranha que eu nem conhecia também se jogou no carro dele, ai nós fomos deixa-la em casa, depois que agente se livrou da piriguete as coisas começaram a ficar interessantes...Rafael pousou a mão sobre minha perna e perguntou se eu me lembrava do que tinha acontecido no hotel em petrópolis eu disse que sim e que havia gostado muito.

Ele sorriu e perguntou se eu não queria repetir. Coloquei a mão nas coxas dele e disse: Claro! Enquanto ele dirigia eu abri a calça dele só com uma mão, o tesão era tanto que eu fiz mágica, porque eu mau consigo abrir a calça de outro cara com as duas mãos. Fiquei ali alisando o pau dele sobre sua cueca branca enquanto quanto ele dirigia, de vez em quanto ele me olhava e sorria.

Como era bom sentir toda aquela potência pulsando na minha mão, eu tive vontade de começar ali mesmo e cair de boca nele, mas Rafael já tinha bebido um bocado e estava dirigindo bem rápido, com pressa de chegar no motel ou então bêbado se eu tirasse mais ainda a sua concentração ele ia bater o carro.Finalmente chegamos no motel, ai eu disse:

- Pega um quarto com hidro!

- Por que? Você vai pagar? disse Rafael sorrindo.

- Vou sim de várias maneiras...

- Isso eu sei, mas divide a conta comigo que eu pego a mais cara de todas agora.

- Então pega! eu falei.

Ele pegou um dos mais caros 250 reais duas horas hora, mas era enorme tinha quatro ambientes, piscina e hidro. Quando eu vi achei um exagero, mas eu tava era com tesão fomos pro quarto e a cama era enorme ele pulou com tudo, e o colchão de mola tremeu.

Vem! disse Rafael eu fui pra cima dele bem devagar, pra fazer charme. Levantei a camisa dele e comecei beijando aquela barriginha de tanquinho, depois fui beijando o peito dele, o pescoço e a nuca.

Ele muito louco me beijou na boca e rolou por cima de mim, veio me beijar com sede de sexo e agarrou meu pau, tirou minha camisa e a calça me deixando só de cueca sobre a cama, se levantou e tirou a roupa e veio pra cima de mim nu.

Eu fiquei doido com aquele homem tesudo em cima de mim, me beijando peguei a pomba dele e comecei a punhetar, depois dei uma lapada na bunda dele com força e apalpei suas nádegas.

Ele deu um gritinho e depois começou a descer pro meu pau, foi nessa hora que ele foi quem fez charme, passou a língua bem devagar pelo corpo do meu pênis da base a glande então abocanhou.

Começou a sulgar bem devagar enquanto eu urrava de prazer, depois começou a me chupar mais rápido e não sei como ele conseguiu, mas engolir meu pau inteiro sem fazer força na garganta, que boca enorme ele tinha e estava envolvendo todo o meu pau. Mandou eu virar e começou a passar a língua no meu ânus, pegou um gel na cabeceira da cama e perguntou se podia me comer.

Disse que sim. Ele veio cheio de tesão colocou bem devagar so a cabecinha, falei que ele podia enfiar. Acho que eu tinha esquecido como Rafael era bem dotado ele meteu tudo, pra não me arrepender e gritar mordi o travisseiro.

Ele riu e disse você aguenta bem nê!? então toma! Começou a bombar enquanto eu mordia ainda mais o travisseiro, depois que a dor inicial passou eu pude curtir com ele, fiz o que eu sabia pra enlouquecer um cara apertei bem meu cu, apertava e ele gemia assim: Vai andré dá esse cuzinho pra mim! Aperta a minha pica.

Eu comecei a gostar ainda mais daquilo, vendo que ele tava loucão com a maneira que eu apertava o pau dele. me sentia muito safado e rebolava no caralho do meu primo. Até que ele começou a gemer mais alto e disse que não estava aguentado mais. Me abraçou com força, empurrou o cacete e gozou fundo. Rafael quase me quebrou com seu abraço. Ele ficou ofegante e todo suado. Eu ainda tava com muito tesão, pois não tinha gozado sai debaixo dele, por um momento pensei em me masturbar, mas preferi fazer uma maldade!

Fui comer Rafael, ele disse que não queria, eu fui pra cima dele e o puchei seu cabelo, falei no ouvido dele, vou te comer sim! Ele tentou sair, era bem mais forte que eu, mas tinha bebido e acabara de gozar, por isso consegui domina-lo. Comecei a passar a minha pica no rabo dele, ele continuou resistindo, pediu por favor pra eu não comer ele daquele jeito, mas eu consegui segurar ele só com uma mão e com a outra coloquei meu pau no cu dele e empurrei, não consegui botar tudo, primeiro por que tava seco e doeu até no meu pau, segundo porque nessa hora Rafael tava gritando muito e se mexendo.

Dei ujm tapa com toda a força na bunda dele puxei pelo cabelo e mandei ficar quieto, estendi a mão e peguei o gel quando tirei o pau e butei o dedo nele vi sangue em minhas mãos, passei o gel e coloquei de novo bem devagar, Rafael viu que não tinha jeito de escapar e cedeu, ajudando a entrar.

Quando consegui botar toda cheguei no ouvido dele e disse: Já botei toda, fica calmo que eu vou te fuder bem gostoso. Ele ainda estava emburrado por eu ter metido daquele jeito, acho que eu estava com um gênio ruim. Fui rodando, fazendo movimentos circulares tudo com muita calma e muito tesão até que meu primo finalmente resolve relaxar e curtir meu cacete. Ele disse vai André me enrraba.

Eu comecei a aumentar o rítmo, o rabo dele era muito bom, era quente e mais arrochado do que qualquer um que eu tenha comido, me senti muito forte dominando Rafael e fazendo dele uma Barbie. Ele começou a gemer e a empurra a bunda contra meu pau ai eu falei:

- Tá gostando né? então fica de quatro sua Barbie. Então ele ficou, eu comecei a bombar mais rápido e com mais força. Quando entre seus gemidos ele falou uma coisa que me deixou mais louco ainda.

- Vai André come meu cuzinho virgem. Fiquei alucinado! Meu primo era virgem mesmo, o cu dele não deixava mentir, quando pensei que tava enrrabando ele pela primeira vez e que ele agora ia ser meu viadinho pra sempre logo gozei com tudo. Ele se masturbando gozou de novo.

Depois de tudo olhei pra ele e perguntei você era virgem mesmo? Bom, eu já tinha ficado com vários caras, mas nunca tinha dado, então eu era...Fui pra hidro ele entrou e também, mas reclamou que o cu tava doendo, falei pra ele que isso era porque eu tinha comido ele pela primeira vez e que agora eu ia ser o macho dele pra sempre.

No começo ele não aceitou, acho que não aceita bem e sempre quer me comer primeiro, mas com o passar do tempo ele se tornou mesmo a minha Barbie, sorte que eu sempre gostei de brincar com as bonecas.

Autor: Andre
E-mail - andreltz@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.