Olá meu nome é Fabio sou moreno tenho 28a, 1.70, 70kg, treino musculação, tenho uma relação estável com um cara e temos um relacionamento aberto. Esse conto é real e aconteceu quando tinha 15 anos.

Nesta época ajudava meu pai na loja dele e atendia alguns clientes. Certa manhã chegou um coroa perguntando alguns preços e ficou me encarando. Eu já havia tido experiências com outros garotos mas só aquela coisa de adolescente como pegar no pau, chupar, dedo no cu e mais nada.

Quando o coroa me encarava eu comecei a ficar excitado e do nada ele perguntou:-Tem namorada?

- Não.

- E namorado? Na hora gelei, pois nunca tinha ficado com um homem de verdade e falei:

- Às vezes.

Foi a deixa que ele queria. E assentiu:

- Então vou te esperar até a hora que vc sair pra gente conversar.

Meu nome é Ruy. Eu não via a hora de terminar o expediente. Quando deu 17h inventei uma desculpa pro meu pai e sai.

Quando tô dobrando a esquina ele grita e pede pra eu esperar. A gente conversa e ele fala pra gente dar uma volta de carro. Entramos em uma Brasilia vermelha e mal começou a dirigir começou a pegar nas minhas pernas, alisava o pau dele que por sinal era um volume grande e falava a todo momento:

- Hoje vc vai finalmente saber o que é um macho de verdade.

Ao mesmo tempo que tava morrendo de medo a excitação e curiosidade falavam mais alto. Rodamos um bom tempo até que ele para em frente a uma casa. Era a casa de um amigo dele.

Descemos e o outro cara foi se apresentando. Seu nome era Ney e ficava me olhando da cabeça aos pés.Entramos e fomos direto pro quarto. Eu estava petrificado mas continuava lá sem dizer nada.

Eles me sentaram entre eles e começaram a me alisar e a esta hora meu pau já estava explodindo.Começaram a me beijar os dois ao mesmo tempo e colocaram minha mão no cecete deles.

Era muito volumoso os dois o que me deixou nervoso. Tiraram minha camisa, calça e me deixaram completamente nú. Eles continuavam vestidos. Começaram a chupar meu peito que na época tava inchado pela idade e eu java morrendo de tesão ate o Ney falou:

- Agora é hora de vc mamar.

Me colocaram de joelho e ficaram na minha frente. Tiraram a camisa e a bermuda.

Quando vi não acreditei. Eram duas jebas enormes. Devia ter uns 20, 22cm cabeçudas e cheias de veias saltadas. Mal cabia na minha boca. Eles pediam pra eu abrir o maximo que podia e literalmente foderam minha boca. Me humilhavam me chamavam de viadinho, putinha, vadia de rua e eu adorando.

O Ney falou que finalmente era hora de conhecer um macho de verdade. Saiu e voltou com um pote de creme. Enquanto chupava o Ruy ele ficou atrás de mim e deu uma lambida no meu cu semi-virgem. Gemi de tesão. Perguntou se eu tava gostando e eu so conseguia dizer... AHAN, pois com uma vara grossa na boca era a única coisa que saia.

Ele posicionou aquela cabeça gigante na porta do meu cu e começou a forçar a entrada.

Eu comecei a ficar nervoso e e quando ia pedir pra parar ele conseguiu enfiar a cabeça daquela verga monstruosa. Eu gritei pois doeu muito. Quis fugir e o Ney segurou meu cabelo e me entalando com sua enorme pica falava:

- Agora aguenta rola sua puta... vai ver o que é macho.

O Ruy enfiou tudo de uma vez. Pensei que ia morrer. Ele bombava aquele rola no meu cú sem piedade, eu chorava gemia gritava e quanto mais eu pedia pra parar mais me sufocava e o outro segurava minha cintura e mandava pica a dentro.

Depois de algum tempo o Ruy literalmente montou em mim e falou:

- Vou gozaaaar e encheu meu cu de porra... e nem sinal do Ney gozar.

Eu gemia e chorava. Enquanto o Ruy saiu pra se limpar o Ney falou descansa que vc vai ter mais. Eu implorei pra ir embora e ele falou alto:

- Eu ainda não gozei viadinho.

Me deu um tapão na bunda e mandou ficar de frango assado. Lambuzou o pau de creme e se posiciou. O pau dele era maior e mais grosso e eu pensando se ia caber.

Ele enfiou tudo de uma vez mas pra meu espanto entrou tudo tão fácil e tava começando a ficar gostoso que meu pau começou a ganhar vida. Ele começou a bombar e falar que meu cu era uma delicia e eu que ja tava literalmente fudido e arrombado comecei a rebolar e a mandar ele enfiar mais.

Conseguia sentir o saco batendo no meu cu. Ele tirava e botava o pau me fazendo ver estrelas de dor e prazer misturadas coisas que nunca havia sentido. Socava mais forte e cada vez mais forte quando urrou e senti a veia expelindo mais esperma no meu cu.

O Ruy assistindo tudo e batendo punheta veio mandou eu ficar em pé se ajoelhou chupou meu cacete e fez eu gozar na boca dele enquanto se masturbava e gozava novamente.Mandaram eu me limpar porque tava uma mistura de sangue, creme e esperma escorrendo pelas minhas pernas.

Enquanto me lavava passei a mão no meu cu entraram meu 4 dedos facilmente. Comecei a chorar um misto de medo, alegria e repulsa.

O Ney me levou até perto de casa e disse que esse seria nosso segredinho.

Fiquei 2 dias sem sentar direito mas confesso a vcs que até hoje bato punheta lembrando daquela tarde tesuda.

Quem tiver a fim de trocar ideias e histórias reais manda um e-mail pra mim.

Autor: Brother
E-mail - Não Divulgado
MSN - brother21@click21.com.br
Conto enviado pelo internauta.