Era uma manhã quente na faculdade onde estudo. Apesar de ser Janeiro, precisei ir até lá resolver umas pendências para o início das aulas. E tudo estava muito deserto, pois a faculdade ocupa uma área muito grande e os prédios são muito distantes um do outro.

Em um desses prédio, vi Marcos, um dos seguranças da faculdade. Ele é um homem de 27 anos, 1.80, moreno, forte, olhos castanhos, cabelo escuro e ralo. Tinha braços e perna grossas, ombro largo e corpo bem definido. Mas o que mais chamava atenção era aquele volume enorme que carregava debaixo da calça apertada. E sempre cumprimentei ele, dando um famoso "bom dia" e secando ele de cima em baixo.

Eu sou um cara de 23 anos, 1,75m, 70kgs,loiro, com um corpo definido, mas não muito malhado. Sou discreto e sempre curto umas putarias com uns caras de vez enquando. Mas Marcos sempre me tirava do sério. Sempre que o via meu pau virava uma pedra. Mas nunca tentei nada, até esse dia.

Como disse, estava tudo deserto. Entrei no prédio que precisava pegar uma assinatura, mas não tinha ninguém lá. Estava tudo fechado. Pensei que tinha perdido meu dia. Então fui até o banheiro. Entrando lá, me deparei com Marcos lavando o rosto. Cumprimentei e vui pro mictório. E ele parou do meu lado e botou aquele mostro pra fora. Tinha uns 21cm de puro tesão, muito grosso e com com veias que saltavam... Fiquei hipnotizado, nem consegui disfarçar que estava olhando. E é claro ele percebeu.

Pro meu espanto, ele olhou para os lado, vi que não tinha ninguém e começou a acariciar aquele mastro. Meu pau tinha começado a ficar duro e eu não tinha percebido. Guardei meu brinquedinho e dei uma que não tinha percebido nada e fui lavar a mão.

Ele veio atrás de mim e falou que tinha percebido que tinha olhado pro pau dele, na cara dura. Meu coração acelerou. Não sabia o que falar, mas era um chance que não poderia perder. Então falei que tinha reparado no tamanho e brinquei dizendo que deveria dar trabalho com um instrumento daqueles. Ele me olhou com uma cara de safado e falou que pra ele não era problema, e sim para os outros. Nesse momento meu pau latejava dentro da minha calça.

Não deixei a chance passar, depois dessa. Disse que o problema seria apenas para os outros mesmo. Ele então me perguntou se teria problema e se gostaria de tentar. Na hora peguei naquele mastro que estava começando a ficar duro. Como não dava para fazer muita coisa no banheiro (e não é muito legal também), fomos para o andar de cima, onde só tem salas de aula na esperança que alguma estivesse aberta. E tinha uma aberta. Fechamos a porta, colocamos umas mesas para bloquear a entrada e pronto.

Ele encostou na parede e eu deu uma pegada naquela mastro que estava como uma pedra naquele momento... acariciei ele abaixei, lambi aquele mastro com calça e tudo... Ele deu um gemido de macho gostoso. Abri o zíper da calça e mal consegui tirar o pau dele da sunga, de tão duro que estava e de tão apertada era a calça.

Tirei o pau dele junto com as bolas... começei a lamber as suas bolas e ele ficou louco... logo abocanhei aquele pau gostoso de uma só vez... chupei ele até minha boca arder... chupava firme e rápido. Aquele mastro mal cabia na minha boca direito. Fiquei chupando ele uns 10min, até que percebi que ele já estava querendo gozar.

Parei e sentei numa mesa e balancei meu pau pra ele, num primeiro momento achei que ele não iria gostar da ideia. Mas me enganei, ele me abocanhou com tudo, chupava feito loco, e me deixava com um tesão delicioso. Enquanto chupava, desabotuei sua camisa e vi aquele peitoral bem definido e com pelos baixinhos. Aquilo me deixou louco de tesão.

Aquele cara de uniforme, forte e chupando meu pau era tudo que queria.

Enquanto me chupava, ele começou a enfiar o dedo no meu cuzinho, que estava bem apertado. Foi aí que cometi uma loucura: falei pra ele que era a única coisa que ele iria enfiar ai, pois quem iria comer era eu. Foi a melhor coisa que poderia ter dito. Ele parou de me chupar, desabotuou a calça e abaixou a sunga.

Virei pra bunda dele, que era durinha e bem grande. Aquilo me deixou louco. Botei uma camisinha, que sempre guardo dentro da carteira, mandei ele apoiar as mãos na mesa e empinar a bunda para mim. Ele obedeceu. Dei umas lambidas naquele cuzinho apertado para ajudar, ele gemia que nem louco.

Começei a enfiar meu cacete daquele cuzinho delicioso. Era uma delícia: apertadinho e quente. Começei a socar bem devagar e fui aumentando o ritmo. Ele gemia que nem um louco. Botei ele de cara com a parede e começei a socar mais e mais... peguei no pau dele e começei a bater uma pra ele. Estavamos com muito tesão. O pau dele parecia uma pedra. Uma delícia.

Fui socando cada vez mais rápido e rápido. Pedi para tirar a camisa pq queria gozar no peitoral dele. Ele tirou e então comecei a bater uma com ele ajoelhado na minha frente. De vez enquanto ele dava umas lambidas deliciosas. Não estava aguentando mais e gozei como nunca tinha gozado antes, foram umas jatadas que escorriam naquele peitoral delicioso.

Deixei ele fazer o que quisesse comigo, estava estasiado. Ele me pediu que chupasse mais aquele pau pq queria gozar na minha boca. Rapidamente abocanhei aquele mastro e chupei como um louco. Escutava ele gemendo e gemendo mais. Ele finalmente gozou. Uma porra quente entrava na minha boca com jatadas fortes e volumosas. Engoli tudo.

Olhei pra cima e vi a sua cara de ecstasy.

Desci para pegar papel para que pudesse se limpar. Quando subi, ele estava tentando colocar o pau, ainda meio duro, dentro da calça. Ele se limpou, desceu e desci logo atrás. Entramos no banheiro e ele terminou de se limpar. Me perguntou quando que iria ter a chance dele. Disse que na próxima vez. Peguei no pau dele enquanto saia, ele deu um sorrisinho safado pra mim e saiu.

Não o vi desde então. Não sei se ele está de férias ou se esta patrulhando outra área. Só sei que quero ver meu segurança novamente.

Adorei pegar um uniformizado. Se você é do Espírito Santo é policial, militar ou segurança e quiser uma aventura comigo, irei apreciar muito. Só mandar um email.

Autor: Carlos Edu
E-mail - gt5800d@gmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.