Era o primeiro dia de festa dos cinco que estavam por vir. A abertura era com a cavalgada pela cidade, que começava de manhã e emendava com a noite, indo madrugada adentro.

Eu, claro, nos trajes tipicos de um verdadeiro cowboy desfilei a cavalo e aproveitei a festa com muita cerveja e azaração.

Quando ia embora, sozinho, um outro garoto, o Victor, um moreno alta, da mesma idade que eu, 19 anos, me chamou.

Eu não o conhecia, mas ele disse que ouvira falar de mim e havia me reparado na festa.

Trajando as mesmas roupas de um verdadeiro cowboy como eu, ele disse se poderia seguir até a entrada do seu sítio comigo, pois também estava a pé, porque não tinham condições de ir no seu cavalo.

Como estava a pé também, disse que sim, e seguimos caminhando em meio a altos papos. Conversamos sobre a tudo, pois a caminhada não era das menores, até que se chegou em sexo. Ele disse que tinha uma fantasia estranha, e não quis me revelar, sem problemas.

Ao chegar na porteira do sítio dele, ele me chamou para dormir lá, ja que estava tarde e ainda tinha que andar mais um bucado, além de que segundo ele seria uma forma de me agradecer pela cia.

Aceitei, pois realmente estava cansado, sem saber que existia segundas intenções.

Quando chegamos na area da cas, Victor me parou e disse: "sabe aquela minha fantasia? Intão, é você." E ja pegou no meu pau apertando gostoso.

Só botei a mão na bu nda delicia dele e ele veio até meu rosto e nos beijamos, por muito tempo, cheguei até a perder o folego.

Logo ele abaixou e abocanhou meu pau, tirou minhas calças e disse que a tara dele era transar se botas com outro macho.

Quando ele viu que tava quase gozando, me pucou pra dentro de casa e colocou uma camisinha no me pau com a boca. Levantou e deitou de puxando em cima dele, beijando minha boca. Caimos no tapete e meti nele de frango assado.

De repente ele goza sem ao menos pegar no pau. Não aguentando as contrações do cuzinho dele, tiro meu pau, a camisinha e gozo no seu abdomen, ele me puxa e me beija loucamente.

Ficamos um tempo li, depois fomos pro chuveiro, onde ele me chupou de novo e gozei na boca dele.

Dormimos de conchinha, e no outor dia transamos no curral depois de tirar o leite.

Autor: Arthur B
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.