Certa vez, em uma noite fria de agosto, eu voltava p/ casa não muito tarde, mais a rua estava deserta encontrei Heitor, um amigo que era negro e lindo.

Eu ja havia comido algumas vezes. Converçamos um pouco e ele me disse que estava atrasado e louco p/ brincar e meter.

Logo Heitor começou a acariciar minhas coxas e minha bundinha coiza que nunca tinha feito antes provocando um Tezão imediato em mim.

Fiquei de pau duro e um calor começou a tomar conta de mim. A mão dele deslizava pelas minhas coxas e bunda.

Como a coisa esquentou muito sugeri a Heitor que fosemos ate meu escritorio que não ficava longe de onde estavamos.

So que com o predio era pequeno e sem elevador e no andar superior funcionava uma academia de artes marciais o movimento na escada era grande não poderiamos correr o risco de cruzarmos com ninguem na escada.

Heitor me disse no meu ouvido enquanto alizava minha bundinha:

- Vá na frente, deixe a porta só no trico, fique no escuro, se dispa e fique PELADINHA. Não farei barulho ao entrar.

Fui p/ o escritorio com p pau duro que ate doia imaginando o que ia acontecer pois o tezão era grande dos dois lados e a muito tinha vontade de esperimentar aquele cacete de 18 de calibre e ao mesmo tempo medo pois era virgem e perder o cabaço logo com um cacete daqueles.

+ Meu interece naquele churiço era grande. Fiz como ele me pediu, entrei em ser visto, despi-mee fiquei aguardando.

Pouco depois a porta se abriu e em seguida fechada. Heitor valou baxinho, minha tezao gostoza onde esta vc.

Estou em frente a minha mesa [respondi], PELADINHA como pedi, sim como vc pediu PELADINHA. Pelo som fomos tateando ate nos tocarmos.

As mãos do Heitor percorreu todo meu corpo espremendo minhas tetinhas que são bem gostizinhas, deu uma chupada mordeu os bicos e disse,tiva minha roupa.

Comecei imediatamente tirar suas roupas, quando fui tirar sua cueca aproveitei e fiz um carinho bem de leve em seu cacete que já estava duro como aço.

Heitor parece ter levado um choque, então ele falou no meu ouvido [faz carinho nele]. Segurei aquele cacete e comecei acaricia-lo.

Abraçamos e começamos a nos esfregar como numa luta de espadas, ele com uma espada e eu com meu canivete.

Heitor me empurrou ate encostar-me numa mesa. Ai ele colocou as maõs nas poupas de minha bundinha levantou-me e colocou sentado na ponta da mesa e começou a cutucar meu cuzinho que piscava loucamente, e falou baixinho no meu ouvido.

QUERO O SEU CABAÇO, VC ME DA? Com voz tremula de tezão repondi Meu cuzinho é todo seu, me descabaça devagarzinho p/ não doer.

Seu contato com meu corpo foi total estavamos molhados de suor. Heitor cuspiu no meu cu e em seguida enfiou um dedo, depois dois.

O prazer era enorme, ai ele levantou minhas coxas colovando em seu peito molhado de suor, e pediu para eu guiar seu cacete ate a entrada do meu cuzinho.

Passou a forçar a entrada e disse: Meu tezão estou começando a te descabaçar, vc quer? Ja nas nuvens de tanto tezão; Quero meu negrão, enterra este cacete de chocolate e derrete ele dentro de mim.

Quando a cabeça entrou senti uma dor enorme, quis escapar Heito e me travou e disse {quietinha pois seu cabaço ja foi, seu cuzinho agora e meu cuzão. vc é minha.

A dor começou a passar, e eu disse que pauzão gostozo, me arromba. Aquele cacetão enorme foi entrando centimetro poe centimetro dentro de mim, não parava mais de entrar aquele nervo no meu agora cuzão.

Heitor começou acariciar meu rosto e falou; Que cu gostoso, quentinho e bem apertadinho, agora pisca este cu no pau do seu amante.

Devagarzinho meu cu foi acostumando com aquele cacete de chocolate. A impreção que ia sair na minha boca. Com tudo dentro e satisfazendo seu pedido comecei a piscar meu cuzão em seu cacete, ja nas nuvens pediu rebola esta bundinha bem gostozo.

O que fiz c/ muito prazer: que censação incrivel sentir aquele cacete todinho dentro de mim e seus pentelhos roçando minha bunda é indescritivel.

Os movimentos de rebolado e soca de pilão foi aumentando dando um calor enorme ai Heitor anunciou que iria goza. Foi uma sensação unica sentir aquele porra sendo despejada dentro de mim.

Ficamos imoveis por um bom tempo ate que seu cacete amoleceo e saiu de dentro de mim, agora descabaçado e sua porra escorrendo do meu cu pelas minha coxas.

Fomos amante muito tempo + deus o chamou. Esta muito difícil encontrar outro.

Autor: Galo
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo Internauta.