Eu estava fazendo 13 anos, hoje tenho 45, quando a minha vida começou a mudar e diga-se de passagem, para melhor, para bem melhor!!! E meu primo tinha 15 anos, seu pênis já era desenvolvido, o meu ainda era de um garoto de 13 anos.

Agora vou nos descrever:

Eu: cabelos loiros, compridos e cacheados, 1.75 cm. Olhos cinzas, (eram azuis, mas foram mudando de cor, como passar do tempo, mas de vez em quando, ainda ficam azuis) meu peso era de aproximadamente, 65 kg.

Meu primo: também de cabelos loiros, compridos e lisos, 1.85 cm. Olhos azuis e 80 kg. Com o corpo bem definido, ?lindo? com tudo no lugar, uma delicia!!! Meu primo e eu, sempre tínhamos a mania de brincar de brigar e sempre que brincávamos de luta, como ele é mais forte que eu, ele sempre ganhava de mim. Toda vez, ele me pegava em alguma chave e ficava por trás de mim e com isso, eu sentia sempre algo estranho em minha bunda, algo volumoso e achava bom de mais, mas nunca falávamos nada sobre aquilo, mas em todas as nossas brincadeiras, era sempre a mesma coisa.

No dia do meu aniversário, de 13 anos, meus pais saíram para comprar as coisas para a minha festa.

Estava o maior calor nesse dia, como se isso importasse, tanto ele, quanto eu, estávamos sempre dentro da piscina, amamos nadar, não por esporte, mas por satisfação mesmo, fomos para a piscina e nadamos muito, até nos cansarmos e resolvemos sair para irmos tomar banho, para tirar o cloro da água e para a gente se aprontar para a minha festa, fomos para o meu quarto, da piscina até o meu quarto, fomos brincando de brigar e chegando em meu quarto, começamos a tirar as sungas e fomos para o banheiro, quando entrei no Box, ele me puxou e disse que, ele iria tomar banho primeiro e eu falei que não, porque eu era o aniversariante e tinha o direito e voltei para dentro do Box e fui abrindo o registro do chuveiro e ele me puxou de novo e começamos a nossa eterna briguinha e foi aí nesse ponto e daí em diante, as nossas vidas, nunca mais foram às mesmas.

Como de costume, ele me venceu com alguma chave e ficou por trás de mim e pude sentir pela primeira vez, nós totalmente nus e ele com o seu pinto duro, em minha bunda, foi a sensação mais gostosa do mundo, me arrepiei por completo e não conseguia falar nada e ele também ficou mudo, acho que ele sentiu o mesmo que eu senti, ficamos ali parados e sem palavras, por alguns minutos, só nos deliciando com aquele momento, mas de repente,senti que ele começou a se afastar de mim e rapidamente, passei meus braços para trás dele e o puxando para mim e forçando o seu corpo escultural, no meu e quebrei o silêncio, lhe pedindo para que, ele não saísse dali de trás de mim, que continuasse ali, porque estava muito gostoso, sentir o seu corpo nu, no meu e ele me atendendo, me abraçou e senti o seu corpo, forçando meu contra o dele, não mais como as nossas brigas, era diferente agora.

Eu estava muito feliz, com aquilo que estava acontecendo comigo, pude sentir seu sexo, duro, em minha bunda e estava sentindo seus beijos em minha nuca, costas e orelhas, eu estava todo arrepiado, estava gotoso de mais, eu queria que tudo aquilo, não acabasse nunca e aproveitando cada beijo em mim, não resisti e fui tirando um de meus braços, de suas costas e fui deslizando a minha mão, para frente dele, indo direto ao ponto principal, fui passando a minha mão naquele pau duro, que mais parecia ferro e o envolvi em mãozinha, era grande, grosso e quente, foi uma sensação indescritível o que senti, meu corpo ficava cada vez mais arrepiado, com tudo aquilo e pude sentir também, a cabeçorra do seu mastro, toda melada e conseqüentemente, a minha bundinha, também estava toda lambuzada, achei diferente pegar o pinto dele, o meu não era gostoso de pegar, mas o dele era de mais, devia ter uns 18 cm.

Quando tava massageando a sua pica, ele levou a mão dele na minha mão, que segurava o seu membro e começou a levar minha mão, em direção ao meu rego e começou a passar com a minha mão, o seu pau em todo o meu reguinho e depois de algumas passadas, ele retirou a sua mão, porque eu já sabia o caminho e muito bem e por extinto, talvez, arrebitei a minha bunda e fui abrindo as minhas pernas e com isso, acabei sentindo a cabeça de sua geba, roçando o meu cúzinho, que delicia era aquilo e eu já tava com o meu cu piscando, de vontade de dar para ele, ficou mais forte ainda a minha vontade.

Foi quando eu lhe pedi, outro presente de aniversário. (Pois eu já sabia que, ele já havia comprado um para mim e iria me entregar a noite, durante a minha festinha) ele me respondeu que sim, que ele nunca tinha me negado nada antes e que não seria hoje, que ele iria me negar, depois disso, reuni toda coragem que eu pude e lhe pedi que, queria que ele comesse o meu cu e ele deu um sorriso lindo e safado para mim e me falou que, era tudo o que ele mais queria na vida dele, comer o meu cúzinho, depois disso, ele me virou de frente p ele e pude ver o seu sexo duro, pela primeira vez, era lindo, ?branquinho, a cabeça bem rosada.

Levemente torto para a esquerda, mas bem leve mesmo, redondo e o saco pequeno, uma delicia? no momento que vi ele daquele jeito, não consegui tirar os olhos e o meu primo percebendo, me perguntou se eu tinha gostado? Ou, ñ? E eu respondi que amei o pau dele, que era lindo e parecia ser muito gostoso e ele me sugeriu, que eu o chupasse e eu lógico, fui me abaixando e pegando e colocando ele na minha boca, pena que não cabia, porque a pica dele é grossa e eu tenho a boca pequena tive que ficar só lambendo mesmo e dando beijinhos, mas de qualquer forma, está bom de mais e fui lambendo dês da pontinha, até o seu saco e sem nem uma resistência, fui pondo o seu saco em minha boca, que saco gostoso!!!

Fiquei ali massageando, suas bolas, com a minha língua, por um bom tempo e só depois, voltando para o seu caralho magnífico e depois de chupar por muito tempo, aquele monumento do prazer, lhe pedi para que ele me comesse, pois não agüentava mais de tanta vontade, de dar o cu para ele e então, ele foi me virando de costas para ele e inclinando o meu corpo, quando pensei que ele iria me comer, ele fez outra coisa, começou a beijar e a lamber a minha bunda e a mordiscar, aquilo me levava as nuvens, quando ele começou a passar, a língua em meu cúzinho, quase desmaiei de tanto tesão e eu comecei a pedir a ele, para enfiar a língua no meu cu e quanto mais ele enfiava, mais eu queria que ele enfiasse e eu comecei a rebolar no rosto dele, depois de um tempo, ele parou de lamber o meu cu e vi, quando ele pegou um pote de creme, percebi logo, para que iria servir aquele pote, então lhe pedi para passar no pau dele o creme e depois ele passou em meu cúzinho e fui sentindo ele lambuzando o meu cu com o creme e senti também, ele me lubrificar dentro do meu orifício e depois, finalmente senti, quando ele encostou a cabeça do cacete dele, na entradinha do meu buraquinho, ainda virgem.

Ah! Que delicia era aquilo, ele foi empurrando bem devagarzinho o seu membro, para dentro de mim, doía um pouco, mas mesmo doendo, estava muito gostoso e eu gemia, um pouco pela dor e bastante pelo prazer, ele enfiava um pouco e tirava novamente e repetiu isso, por muito tempo, até que ele viu, que eu já não sentia mais dor alguma e que sua geba, já estava escorregando para dentro de mim, sem muito esforço e sem alguma feição de dor em meu rosto.

Nesse momento, ele começou a enfiar tudo e tirar novamente e falando que eu tinha a bunda mais gostosa do mundo e que me comer era estar no melhor lugar do mundo e quanto mais, ele falava essas coisas para mim, mais eu rebolava na sua rola e lhe pedia para enfiar mais e mais, que eu estava gostando de mais, sentir o saco dele batendo em minha bunda e ele começou a me estocar, a sua pica, com mais força e levando ela até o fundo, eu sentia ela encostar na parede da minha bunda e quanto mais ele enfiava tudo, mais eu me contorcia de tesão, experimentar aquela vara, dentro do meu rabo, tava me levando ao delírio, eu não sabia quem gemia mais alto, mas ouvia ele gemer e grunhir muito e a me falar coisas como: você é delicioso, eu te amo, você tem a bunda mais gostosa e linda do mundo, que eu mexia muito bem, que eu rebolava, como uma putinha no pau dele e etc...

E quanto mais ele me falava essas coisas, mais eu me arrepiava e mandava ele enfiar tudo com força e ele falando que ainda bem que, eu era um veadinho, porque se não, como ele iria estar sentindo aquele prazer todo, era de mais, ouvir ele falando aquilo tudo para mim, eu já estava sentindo calafrios em meu corpo todo e estava sentindo que iria gozar, mas como eu podia sentir que ia gozar? Eu nem estava tocando em meu pinto, mas eu sentia o calafrio, invadir o meu corpo por inteiro e a medida que ele enterrava todo o seu pau, dentro do meu cu, com mais e mais velocidade, mais eu me arrepiava e gemia e pedia para ele não parar e que continuasse enfiando tudo, dentro de mim, que eu nunca tinha sentido nada, tão gostoso na minha vida e ele sorria pra mim e me dizia que, tinha certeza, que eu era um veadinho e que queria dar para ele, mas ele nunca tinha falado nada comigo, porque eu também não falava nada, sobre as encoxadas que ele me dava e eu falava que tinha medo, que se eu desse para ele, que ele não ia mais querer falar comigo, por eu ser veado e ele me falou que não tinha nada a ver, o que eu pensava, se me comer, era a coisa que ele mais queria no mundo e que ele sabia que eu era veadinho e nem por isso, deixou de falar comigo e que tinha uma grande diferença, que eu sou veadinho sim, mas que sou o veadinho dele e de mais ninguém e aquilo me excitava ainda mais...

Autor: Herich
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo Internauta.