Meu nome é Ricardo, tenho 18 anos, 1,75cm de altura, branco, cabelo liso comprido tipo rocker, olhos castanhos bem claros e sempre fui elogiado por boa aparência.

Meu primo, Wallace, 18 anos, é filho de militar e passou dois anos morando na Amazônia, ele era magrinho, bonitinho, mas sem sal...

Dois anos depois quando ele voltou, fizemos uma festa de boas vindas pra ele e a família...

Quando cheguei na festa me deparei com um moreno, 1,80cm, corpo muito bem definido de quem faz esporte e não de quem malha, moreno claro, cabelo liso curto, arrepiado, olhos pretos, quase nem reconheci. Após a volta dele ficamos muito mais próximos do que éramos antes dele viajar, eu fui sentido cada dia mais atração por ele, mas claro que sempre escondi, pois nunca tinha tido nenhum tipo de contato homossexual com nenhum homem, fora o fato que fomos criados na igreja. Dormíamos juntos, fazíamos tudo juntos, isso foi tirando cada dia mais o meu sossego...

E como eu sempre tive jeitinho, ele fazia umas piadinhas, víamos filme pornô heterossexual de madrugada e quando aparecia a mulher ele me zoava falando que sabia que eu não gostava disso, fora as horas que eu olhava disfarçadamente pro volume que fazia no short dele, quando era evidente que ele era muito bem dotado, pra ser sincero, o volume era evidente até quando ele não estava excitado...

Eu fui ficando cada dia mais apaixonado e obcecado por ele...

Numa noite como as outras que varávamos a noite acordados, como sempre, ele falou que nunca me viu pegando mina nenhuma, eu disse que não ficava porque eu gostava de alguém que não tinha a menor chance e não fazia sentido para mim ficar com outra pessoa. Ele perguntou se ele conhecia ou se era de onde morava, pois morávamos um pouco distante, pois eu morava na região central do Rio de Janeiro e ele na zona oeste, mas eu passava todos os finais de semana na casa da minha vó com ele, que era no mesmo bairro que ele morava. Ele me perguntou o nome de quem eu disse que gostava e eu disse que não poderia contar, ele insistiu, mas ficou por isso mesmo, porém muito desconfiado, porque nunca tínhamos segredos um com o outro.

Na semana seguinte, fui numa sexta pra casa da minha vó, e ela iria viajar num sábado, mas ainda assim eu ia ficar com a chave e dormiria na casa dela e como de costume ele ia ficar lá comigo.

Minha vó tinha ido cedo ao centro da cidade resolver uns problemas de documentos, ficamos só ele e eu em casa, fomos fazer almoço e eu disse que não queria comer nada, então que ele fizesse só pra ele e fez uma brincadeira de mandão e disse que eu que tinha que cozinhar pra ele... eu mandei ele se tocar que eu não ia fazer nada, ele em um ar de zoação foi chegando mais perto, dizendo que eu ia fazer sim e eu dizendo que não, ele foi se aproximando mais ainda com o joguinho do ‘’vai sim/não vou não’’ ele chegou bem perto de mim me imprensando na parede, parecendo que ia me beijar, meu coração disparou na hora, fiquei nervoso e empurrei ele...

Na mesma hora pensei o quanto fui idiota ao fazer aquilo, mas enfim, foi reação, foi até bom, porque em menos de 3 minutos depois minha vó chegou em casa...

No dia seguinte minha vó finalmente foi viajar e ficamos em casa só ele e eu...

chamamos uns amigos pra ir pra lá, jogamos vídeo game, a noite chegou, os amigos foram embora e ficamos só ele e eu de novo... Ficamos vendo filme na sala até que e ele pegou no sono e dormiu, ele sempre teve sono pesado e como de costume o pau dele marcando o short, como vi que ele tava dormindo profundamente, resolvi passar a mão discretamente somente pra sentir o tamanho, mesmo mole, passei levemente a mão com medo dele acordar e nada dele acordar, então fiquei passando a mão, ele meio que ameaçou se mexer, eu tomei um susto e virei de costas pra ele e fingi estar dormindo, foi então que ouvi ele dizendo baixinho ‘’continua...’’, eu me fiz de besta, perguntei ‘’ continuar com o quê?’’ e ele disse pra eu continuar com o que eu tava fazendo, fiquei tímido na hora, mas comecei a alisar o pau dele por cima do short, que foi só crescendo na minha mão, ele tirou o short segurou forte no meu cabelo e mandou eu chupar o pau dele, eu fui lambendo a barriga definida dele, descendo até começar a chupar o pau enorme dele por cima da cueca branca que ele usava. Tirei o pau dele de dentro da cueca e comecei a lamber a cabeça, ele ficou de pé, pediu pra eu ficar ajoelhado, pois o pau dentro da minha boca e começou a foder minha boquinha, o pau dele era tão grande que só cabia a cabeça...

Fui chupando o pau dele todinha e ele puxando meu cabelo dizendo pra eu enfiar o pau dele todinho na boca, eu chegava a ficar engasgado e tinha que tirar pra respirar, depois começou a bater com o pau na minha cara, dizendo que sabia que eu queria isso há muito tempo, disse assim ‘’achou que eu não reparava você manjando meu pau?

Agora chupa ele todinho’’. Depois de eu passar cerca de 20 minutos chupando o pau dele, ele falou que queria comeu o meu cuzinho... confesso que fiquei morrendo de medo, pois nunca tinha dado para ninguém, ele me colocou de quatro, e começou a lamber meu cuzinho todo, dando vários tapas e dizendo que ia me foder todinho...

Depois de uns 15 minutos lambendo meu cuzinho, ele pegou uma camisinha na carteira dele, pôs, eu ainda de quatro pra ele e ele começou a sarrar o pau no meu rabinho e eu morrendo de medo e tesão ao mesmo tempo daquele pau gigante, até que ele começou a tentar me penetrar, não entrava de jeito nenhum, ele cuspindo cada vez mais pra entrar, até que foi entrando a cabeça e eu vi estrelas, mandando ele ir devagar, e ele dizendo que era isso que eu queria, então que agora eu ia ter que agüentar tudinho, adorei ser tratado como uma puta, ele foi bombeando e quando eu vi já estava com o pauzão dele todinho no meu cu, de inicio eu só via estrelas, mas mesmo ao tempo eu sentia um tesão enorme, depois mesmo doendo um pouco foi ficando cada vez melhor, ele me comia e puxava meu cabelo e perguntava se eu estava gostando de dar o cuzinho pro primo.

Ele foi me comendo com força e eu gemia de tesão e ele mandando eu gemer cada vez mais. Depois de uns 30 minutos bombando meu rabinho virgem, ele me mandou ficar de joelhos pra ele, e chupar o pau dele, que era tão grande que a cabeça ficou toda na minha boca e ainda tinha um belo espaço pra ele se masturbar, fui chupando, chupando, ele mandando eu chupar olhando pra ele, até que senti minha boca enchendo de leite e ele me obrigou a engolir tudinho, depois ainda me fez lamber o resto de porra que não deu na minha boca e ficou no pau e engolir também.

Depois disso transamos mais vezes, em finais de semanas seguidos, mas me mudei para São Paulo com minha família, ele engravidou uma menina, está casado com ela, mas mesmo assim falamos pela internet até hoje e todas as vezes que vou pro Rio a gente dá um jeitinho e ele me come até hoje, toda vez que vou até lá.

A mulher dele nem desconfia...

Autor: Rick
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Fonte - http://www.contoerotico.com/
Conto Retirado da Internet.