Eu devia ter uns 10 anos quando comecei a frequentar o sítio do meu padrinho, que tinha acabado de se separar e agora morava la com a nova esposa.

Ele era o tipo de cara sacana que gostava de putaria e só falava disso o tempo todo. Acho que na época ele deveria ter uns 42 anos.

Sei que ele me levava o tempo todo com ele pra um bar onde só tinham machos do tipo dele, e a conversa de fodas, paus, bucetas rolava solta.

Eles eram daquele tipo que todos ja tinham visto todos pelados, alguns ja tinham batido punheta na frente de todos, mas tudo isso era coisa de macho, sem nada de desejo.

Uns anos depois, eu ja com 13 anos estava de férias com ele novamente, e como ele ia todos os dias no bar, continuou me levando.

Foi um dia que um cara, (sr.wilson) começou a contar que chegou em casa certo dia mais cedo, e pegou o filho dele de 13 anos tocando uma punheta peladão na sala vendo uma revista pornô.

Ele contava e se gabava do fato do garoto dele ja estar tocando uma, e dizia que ele tinha um pau grande, bonito e duraço.

Vi meu padrinho me chamar em silêncio pra perto dele, e quando cheguei la ele começou a me perguntar bem alto se eu também ja batia punheta, eu meio timido, mas ja acostumado, disse que ja tinha batido, mas não era sempre, e foi assim que os caras chegaram todos em volta.

Meu padrinho pediu pra eu tirar a roupa e sentar no balcão do bar.

Fiz com vontade mesmo, pq achava divertido toda aquela putaria.

Outro cara falou: Vamos ver se ele ja goza.

Quando meu pau ficou duro, eles começaram a falar que era pauzão, grossão. E é mesmo, hoje tenho 22,5 de pau e é bem grosso, tanto que minha mão não fecha em volta.

Comecei a tocar devagar e aos poucos fui aumentando a velocidade.

Só que começaram a zoar meu padrinho dizendo que a fase dele ja tinha passado e que ele ja nem ficava mais de pau duro, e assim um ficou acusando o outro de broxa, até alguém falar pra eles baterem comigo.

Nossa, tinha uns 12 machos tocando punheta junto, bêbados, uns com paus enormes, outros com médios, mas lembro que nenhum era pequeno.

Eles riam e pegavam de leve no pau uns dos outros pra tirar onda, pegavam no meu e balançavam.

Meu padrinho depois de um tempo veio pro meu lado e pegou meu pau. Com uma mão punhetava o seu e com a outra o meu.

Foi assim até oos caras começarem a gozar...Inclusive eu e meu padrinho.

Gozamos muito mesmo. O chão do bar era só porra onde estávamos.

O domo do bar tinha abaixado a porta e trancado, por isso ficamos apenas de chinelos naquela noite, jogaram sinuca e outros jogos, eu bebendo refrigerante e eles enchendo a cara de cachaça.

Continuavam tirando onda dos paus, e por diversas vezes pegaram no meu pra ficar brincando comigo. Eu era muito novo, ficava o tempo todo de pau duro.

Aconteceram outras punhetas em grupo, outras só meu padrinho e eu, mas vou escrever outro conto pra vocês lerem.

Abraços.

Autor: Silvio
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Fonte - Internauta
Conto Enviado pelo Internauta.