Chovia muito naquela noite, meu voo estava com quarenta minutos de atraso.

Ansioso torcia muito para que fosse cancelado, não queria viajar naquelas condições.

Paola tinha vindo me trazer e a esta hora já estava em casa. O voo acabou cancelado pelas má condições do tempo.

Assim aliviado peguei um táxi e segui para casa, estava morrendo de tesão e queria fazer uma surpresa para Paola.

Como a chuva estava muito forte demorei além do normal e quando cheguei em casa procurei entrar sem chamar a atenção.

Tinha apenas a chave da porta dos fundos segui pelo corredor da lateral e pude observar que a luz da sala estava acessa e quando passei pela janela do quarto de visitas a cortina estava entre aberta, então pude observar que Paola estava aquela hora da noite, completamente nua e parecia embalar uma musica romântica, mais não dava para ouvir que chovia muito e estava com o som baixo.

Curioso fiquei ali, até que não acreditando no que via o Charles meu vizinho de frente separado a pouco tempo, chegou com duas taças de champanhe e completamente nu.

Deu a ela uma das taças que tomou um gole e começou a acariciar o rosto dela, enquanto Charles tocava o corpo de minha esposa que se deixava entregar aos prazeres dele.

Beijavam como dois namoradinhos que mal se conheceram. Ela então tocava o enorme cacete e para minha surpresa era extremamente superdotado, acho que tinha para lá de 22 cm e ainda por cima de calibre grosso, um cacete e que chamou minha atenção, nunca tinha pensado nisto.

Ele esfregava em suas coxas, seus enormes peitos deliciosos e a fazia delirar de prazer.

Para piorar um pouco mais surgiu para minha surpresa ainda maior o Rubens um primo dele que mora em uma cidade vizinha e que de vez em quando vinha visitá-lo.

Ele chegou com uma taça de bebida já pela metade e completamente, nu masturbando-se, fizeram um sanduíche dela, dançando lentamente e ao ritmo da música.

A chuva era torrencial e o barulho aqui fora era muito grande. Não sabia o que fazer, se reagia e colocava todos para correr, se ficava ali espreitando e vendo de camarote, minha esposa ser bolinada por eles.

Na verdade, no fundo estava acho que gostando do que via. Os dois ali, corpos bem malhados, bronzeados e superdotados faziam ela suspirar fundo.

Quando percebi já tinha abaixado minhas calças enquanto me protegia da forte chuva e me peguei acariciando meu cacete ereto e explodindo de tesão.

Enquanto isto minha esposa lá dentro com cada um dos enormes cacetes em sua mão, sentada no sofá, com eles em pé a sua frente chupava deliciosamente, revesando um e outro e não sabendo qual escolher.

Após longos minutos ele a sentou no braço do confortável sofá e começou a meter sua língua na boceta de Paola que mordia os lábios de tesão, enquanto aproveita para chupar o cacete de Rubens, fazendo encher sua boca com o trabuco ainda maior que o de Charles.

Colocaram ela de quatro apoiada no braço do sofá e meteu sua língua no cuzinho da minha querida esposa que gulosa não perdia um instante e chupava o cacete explodindo de Charles.

Por sua vez Rubens sentou-se no sofá e pedindo para sentar-se em seu cacete, ajeitou Paola, fazendo introduzir deliciosamente em sua boceta o cacete ardente.

Ela cavalgava alucinada enquanto ele metia com vontade enterrando aquele enorme volume de músculos insaciáveis.

Em seguida foi a vez dela sentar no cacete de Charles que decidido penetrava com força em sua boceta, fazendo gemer, enquanto Rubens se masturbava.

Estava alucinado, estava teso e desesperado, queria gozar. Quando Charles ofereceu cacete para minha mulher chupar novamente, ela balbuciou alguma coisa e após deixar impregnado por sua saliva enquanto Rubens metia sua língua no cuzinho dela com toda força.

Charles sentou-se no sofá, colocou-a de costa e fez calmamente introduzir em seu rabo o cacete que deslizava rasgando e fazendo pelo visto se contorcer em dor.

Bruto, ignorante ele a penetrava com toda sua força, fazendo enterrar em seu rabo o monstro, enquanto desferia verdadeiros tapas em sua bunda.

Meu tesão estava nas alturas quando ainda mais Rubens, ajeitou-a e acabou enterrando seu cacete em sua boceta fazendo subir nas paredes.

Não resisti, e acabei gozando. Eles continuavam alucinados e ela parecia não querer parar.

Apos horas e já não aguentando mais Charles sacou, assim como Rubens os cacetes apontaram para direção de seu rosto e revezando vez um vez outro batiam na cara de Paola com toda força, como chicotes, fazendo avermelhar imediatamente suas faces, masturbando-se fez explodir em seu rosto boca e seios toda a porra que explodiram quase que no mesmo momento, fazendo-a ir ao delírio.

Após tomarem um banho, foram-se deitar os três não restando para mim a não ser ir para um hotel.

Assim foi que ia fazer uma surpresa e acabei surpreendido com meu vizinho e seu primo transando com minha mulher, jamais tinha passado pela minha cabeça presenciar uma situação desta.

Foi para lá de delicioso. Passei a noite em claro só de pensar no que eles estavam fazendo em casa naquela noite de chuva que não acabava nunca.

Autor: Quedys
E-mail - quedys@bol.com.br
MSN - Não Divulgado
Fonte - Internauta
Conto Enviado pelo Internauta.