Olá, pessoal! Sempre leio os contos por aqui e hoje decidi contar minha própria história.

Aconteceu ontem e achei que vcs iram curtir. Antes de mais nada, como é de costume, deixa eu me apresentar: tenho 30 anos 1m71 66kg, branco, bunda redondinha, grande e moro com meu namorado há dois anos, mas gosto de dar uma escapadinha de vez em quando.

Tem um cara que eu tava há muito tempo cozinhando no MSN. Nunca dava certo de encontrar, até que um dia, sozinho em casa, eu decidi jogar um verde. O cara tava subindo pelas paredes e topou na hora, mas com uma condição: que eu já o esperasse de quatro. Claro que topei, né? Abri o portão da minha casa e só esperei ele me ligar. Depois de 20 minutos, a tão esperada ligação: "Oi, cheguei, to aqui na frente". "Pode entrar", respondi, já morrendo de tesão.

O cara veio pelo corredor lateral e entrou pela porta da sala. Eu já estava nu, de quatro em cima do sofá. Ele chegou e, sem falar nada, já foi tirando a roupa. Como eu tava de costas, deu pra ver pouco no começo.

Só deu pra ver que era um tesão: por volta dos 30 anos tb, com alguns pelos no peito e nas pernas, levemente acima do peso (do jeito que eu gosto!) e com um pau grosso, médio pra grande, que fez meu cuzinho piscar na hora...

Ele foi chegando, passou gel no meu rabo e no pau dele e foi me penetrando gostoso. Pegou na minha cintura e começou a bombar deliciosamente, enterrando fundo. Era tudo que eu queria para aquela manhã!

Depois o cara sentou no sofá e me botou pra cavalgar, de costas pra ele, que tesão! Em alguns momentos eu quase gozei sem tocar no meu pau, e já estava quase implorando pra ele encher meu cu de porra. Mas sei que ele queria mais, e eu também tava adorando aquela sensação de ser preenchido por um estranho na minha casa, de maneira perigosamente arriscada. Num certo momento, meu celular tocou.

Era meu namorado, tive de atender, enquanto o cara continuava metendo gostoso. "Oi, tudo bom?", eu atendi, tentando não deixar na cara que eu tava sendo fodido. "Oi, tudo. Olha, meu professor de inglês cancelou a aula de hoje, então estou indo pra casa. Chego aí em 15 minutos". "Tá bom! Até mais, beijo".

Desliguei o telefone, o desespero tomou conta de mim e eu disse pro meu macho do dia: "Cara, meu namorado tá vindo pra cá, se veste e vai embora, senão o bicho vai pegar".

O cara disse: "OK, então deixa eu gozar na sua boca, estou há muito tempo esperando por isso". Mal comecei a chupá-lo e ele meteu bem fundo na minha boca e gozou fartamente na minha garganta. Foi uma sensação maravilhosa, ao mesmo tempo de ansiedade, já que meu namorado estava pra chegar.

Ele então se vestiu e foi embora. O gosto de porra na boca me deixou com aquela vontade de gozar com uma pica enterrada no cu.

Foi então que eu tive a ideia: nem me vesti nem me limpei: ainda estava com gel no rabinho, passei mais um pouco e fiquei pelado, na cama, esperando meu namorado chegar. Quando ele chegou e olhou pra mim na cama, perguntou: "Veio dormir cedo, hein?".

Eu respondi: "Dormir que nada! Vim preparar uma surpresa pra vc".

Ele: "É mesmo? Que surpresa?".

Então eu peguei a mão dele, chupei o dedo indicador dele e coloquei entre as minhas nádegas.

Ele sentiu que estava lubrificado, fez uma cara de espanto feliz e eu disse: "Já estou preparado, estou doido pra sentir seu pau". Como eu não costumo fazer isso, ele ficou maravilhado, já foi tirando a roupa e me colocando de frango assado.

Fez também do jeito que eu gosto: metendo fundo, me fazendo delirar.

Eu falei: "Quero sentir vc gozar bem gostoso dentro de mim".

E ele: "Então vamos juntos". Ele começou a bombar mais forte enquanto eu me punhetava.

Senti seu pau se dilatar dentro de mim e ele dar um gemido alto, e senti um molhadinho quente dentro do cu. Nessa hora meu tesão foi lá em cima e eu gozei fartamente em cima do meu peito.

Ele caiu exausto e satisfeito sobre mim. Ficamos os dois melados com a minha porra e fomos tomar um banho, com mais algumas sacanagenzinhas...

Se vc curtiu a história e gostaria de participar de algo semelhante


Autor: Reimann
E-mail - Não Divulgado
SKYPE - Não Divulgado
FONTE - Conto Retirado da Internet.