Me chamo Fabio, sou branquinho, baixinho e levemente gordinho tenho atualmente 20 anos. Bom isso aconteceu há uns 4 anos atrás, eu sempre tive amizades com meninos mais velhos do que eu, e uma certa vez marcamos de viajar para Ubatuba eu e mais 3 amigos, foi difícil pra conseguir autorização dos meus pais mas deu tudo certo, vou descrever somente um pois foi com esse amigo que isso aconteceu.

O Conrrado era um rapaz mais velho do que eu, na época tinha 21 anos, mas aparentava ser mais velho, ele tinha um corpo normal, mais ou menos 1,80m cabelo raspado e cara de nervoso.

Nessa viagem tínhamos combinado de alugar uma casa com 2 quartos, piscina e localização perto da praia. Fomos todos de carona no carro do conrrado.

Chegando no sábado de manha, sorteamos a divisão dos quartos e eu o Conrrado ficamos com o quarto de cima, tinha varanda e uma vista para uma rua de pedras.

Feitas as divisões dos quartos fomos nos trocar para pegarmos uma praia, Conrrado por dirigir por muito tempo, disse que tinha que tomar um banho antes, mas ele disse isso de uma forma que me constrangeu e ao mesmo tempo despertou minha imaginação.

Ele me disse: Fábio, vou tomar um banho antes sabe? Eu tenho um problema que incomoda, quando eu fico muito suado, a cabeça do meu pau acumula uma cera branca por dentro da pele sabe?

Então veio tenho que limpar direitinho para não ter problemas hehe.. Ele me disse aquilo na maior naturalidade, realmente não tinha nada demais, mas aquilo fez a minha imaginação voar longe.

Com cara de bobo eu respondi: Como assim cera branca? Eu não sei o que é pq eu não tenho essa pele que cobre a cabeça do pau. Falei aquilo de propósito para ver a reação do Conrrado.

'Ele já de cueca fez questão me mostrar. Tirou a cueca e sem o menor pudor segurou a piroca e veio perto de mim mostrar.

Eu quase cai da beirada da cama quando vi aquilo, nunca tinha visto o Conrrado pelado, e fiquei vidrado naquela pirocona pendurada.

Era morena, com uma veia bem grossa que percorria toda a extensão do pau, era da grossura de um desodorante dove, linda, a cabeça ficava escondida atrás de uma pele que cobria até a pontinha.

O Conrrado sempre foi sem pudores, mas dessa vez ele me surpreendeu.

Eu ali sentado assistindo a cena do conrrado na minha frente, arregaçando a pele e liberando uma cabeça vermelha e dizendo sem pudor: Tá vendo aqui cara, na base da cabeça? É esse creminho ai que fica.

Ele passou o dedo me mostrando que aquilo saia. Naquele momento meus olhos se arregalaram e respondi quase sem voz:

Verdade tem mesmo um creminho branco aqui do lado, parece um creme de leite.

O Conrrado respondeu: O pior é que fica um cheiro forte sabe, sente só.

Ele esticou o dedo e me deu para cheirar. Nossa que loucura isso, aquele cheirinho de leite azedo me deixou completamente embregado, meu pau endureceu na hora! Depois de cheirar eu respondi: Cara é um cheiro forte mesmo.

Ele foi saindo em direção ao banheiro para tomar banho e falando: Te falei cara, por isso tenho que tomar banho.

Depois de todos prontos fomos para a praia de itamambuca para pegar onda. Aquela imagem e aquele cheiro pareciam que estavam piscando na minha cabeça, não esquecia aquilo de jeito nenhum.

No domingo por conta do tempo nublado, fomos fazer uma trilha de quadriciclo, alugamos dois e fomos revezando quem pilotava.

Entramos em uma trilha bem difícil, o Conrrado estava pilotando e eu na garupa quando fomos tentar ultrapassar um tronco de arvore caído no meio da trilha, nessa manobra o triciclo que vinha rápido deu um salto e eu acabei voando da garupa e caindo sentado para trás da moto, cai bem em cima de uma pedra e senti uma dor terrível, após meu grito de dor Conrrado volta para me ajudar.

Machucou Fábio? Desculpa cara não tive culpa. Eu me levantei com dificuldade e pedi que ele me levasse em um hospital pq tinha me machucado.

Ele me perguntou aonde. Falei envergonhado: Cara, acho que cortei o meu cú. Ele ficou preocupado e me levou correndo para o hospital.

Chegando no posto, nenhum médico especifico estava disponível, só uma senhora enfermeira que se prontificou a examinar. Entrei no consultório e o Conrrado me acompanhava.

A enfermeira me pediu par deitar na maca e tirar a bermuda e a cueca. Fiquei muito envergonhado, pois iria ficar pelado ali na frente dos dois.

Sou bem bundudo, não tenho pelos pelo corpo tenho pernas grossas mas roliças e meu pau é bem modesto, 9cm.. e perto do pau do conrrado ele parecia um pitulito.

Mas teria enfrentar aquilo. Tirei a roupa e me deitei na maca, a enfermeira então abriu a minha bunda e falou: Olha garoto, fica tranquilo que não é nada demais não viu, tem uma pequena fissura aqui mas isso é tranquilo, basta comprar uma pomada cicatrizante na farmácia e passar todos os dias antes de dormir.

Fiquei aliviado, Conrrado estava ali em pé ao lado da enfermeira e pude ver em seus olhos um certo tesão pela minha bunda ali aberta naquela maca.

A enfermeira escreveu em um papel o nome da pomada que podia ser comprada sem receita mesmo, e me disse: Pronto tá aqui o nome da pomada, vende em qualquer farmácia, só que vc vai ter que pedir para alguém passar pra vc, pq tem que ser quase lá dentro pra cicatrizar de dentro pra fora, vc não vai conseguir fazer isso sozinho.

Eu então agradeci e já estava imaginando quem iria me ajudar..rs

Passamos na farmácia compramos a pomada e fomos pra casa, os meus outros dois amigos já tinham saído para comer alguma coisa no centro. Conrrado disse que o dia tinha sido tenso e queria ficar em casa mesmo, eu concordei com ele.

Após tomarmos banho descemos para ver TV na sala, ficamos ali conversando e ele me confessou algo intrigante: Fabio posso te falar uma coisa? Eu disse que sim. Cara vc tem um bumbum muito grande! E começou a rir.

Eu muito sem jeito falei: Pois é eu sei, sempre me zoaram com isso. Ele responde: Mas cara, falei de boa tá, achei ela bem bonita viu, nunca tinha visto assim tão redonda rs.

Aquele assunto foi misturado na minha cabeça com aquela cena do pau do Conrrado e naquele momento foi completamente tomado pelo desejo..

Imediatamente depois chegam os meus outros dois amigos que tinham saído para jantar. Ficamos todos ali na sala por algum tempo conversando quando o Conrrado se levante e diz que precisa dormir pq está muito cansado.

Naquela hora eu me despedi e disse que iria dormir também. Já no quarto Conrrado coloca um short para dormir, branco de tecido bem fininho, que marcava completamente aquela rola.

Eu coloquei meu pijama, que por sinal já estava pequeno pra mim, um short de moletom de quando eu era bem mais novo, ele ficava bem agarrado na minha bunda.

Quando me deito na bicama para dormir, sou lembrado pelo Conrrado: Ei Fábio, vc tem que passar a sua pomada antes de dormir lembra?

Eu realmente me esqueci por alguns instantes da recomendação daquela enfermeira, e realmente já nem doía mais, perguntei a ele: Mas vai ser difícil para eu passar, a enfermeira disse que outra pessoa precisa passar então deixa quieto.

Conrrado imediatamente responde: Que isso cara, se vc quiser eu te ajudo a passar, tranquilo, se vc quiser é claro...

Ouvi aquilo quase que sem acreditar, e com muita vergonha e desejo confirmo a proposta: Vc faria isso Conrrado, me ajudaria com a pomadinha?

Ele com os olhos já vidrados confirma: Claro que ajudo, e pode deixar que eu digo pra ninguém não.

Em seguida pergunto: Ok, mas como vamos fazer isso? Eu fico com vergonha de fazer isso assim...

Ele prontamente me orienta: Vamos fazer assim, vc sobe aqui para a cama de cima, eu fico na bicama, então você tira o seu short e se posiciona na beirada da cama com o seu bumbum de frente para mim, assim posso ver o que estou fazendo.

Aquilo me deixou completamente louco, na hora obedeci ao que o Conrrado me mandava fazer, abaixei o meu short, subi na cama e me posicionei bem na beirada, empinei minha bunda e encostei a cabeça no colchão, ficando com a minha bunda completamente aberta e exposta ali para o Conrrado.

Ele não resiste e faz um comentário: Caramba Fabinho é realmente impressionante essa visão, acho que nunca vi um bumbum tão lindo assim igual ao seu. Resolvo então provocar: Vc gostou mesmo Conrrado?

Fiquei com vergonha de ficar assim na sua frente, mas com essa sua fala me sinto mais seguro. Conrrado então pega a pomadinha coloca uma pequena quantidade na ponta do indicador e começa a pssar.

Aquela sensação era maravilhosa, seu dedo ia massageando a portinha do meu cuzinho bem devagar, e ele fazia aquilo como um mestre.

Aos poucos meu cuzinho foi ficando mais relaxado e ele forçou um pouquinho mais, até a ponta do seu dedo entrar.

Na hora exclamei com um gemidinho baixo: Ahhi Conrrado na mesma hora diz: Poxa te machuquei? Desculpa desculpa, acho que me empolguei. Respondo então: Tudo bem, não doeu não.

Aquele momento era como um sonho, eu sendo dedado pelo Conrrado, naquela posição e com gente em casa.. Conrrado parecia entorpecido pela cena, ele não aguentando mais me pergunta? Fabinho vc me deixa fazer uma coisa que eu estou morrendo de vontade de fazer? Respondo com voz rouca: Pode fazer o que vc quiser..

Ele então aproxima seu rosto do meu bumbum e enfia a sua cara bem no meu cuzinho, e dá uma cheirada e uma lambida bem demorada.. Nessa hora não aguentei: Ahhhhh que delicia isso.. Ele responde: Delicia mesmo, que cheirinho gostoso, que sabor maravilhoso tem o seu cuzinho. Ele fala isso se levantando da bicama, e quando eu saio daquela posição e olho, ele já estava sem o seu short, com aquela pica apontada para o teto de tão dura, a cabeça parcialmente coberta pelo prepúcio, e babando bem na pontinha.

Conrrado me vendo ali babar na pica dele se aproxima enquanto diz: Eu sabia que vc tinha gostado do meu pau, quando eu te mostrei ontem percebi o quanto ele mexeu com vc.

Eu não neguei: É que eu nunca tinha visto um desses ao vivo, só em foto, ela é maravilhosa.

Ele então sem falar nada encosta aquela pica no meu rosto como quem oferece doce para uma criança.

Eu sem medo segurei aquela rola com uma das mãos e fui puxando o seu prepúcio até expor completamente aquela cabeçona vermelha, percebi que tinha um pequeno acumulo daquela cerinha branca na base da cabeça, e antes de coclocar na boca cheirei bem devagar.

Era aquele mesmo cheirinho de ontem, de leite azedinho, fui colocando na boca e fui sentindo aquele sabor maravilhoso. Conrrado estava louco com aquilo: Ahhhh que delícia, vc mama muito gostoso putinha, continua vai.

Eu mamei alucinadamente passando a minha língua e sugando cada centímetro daquele pau que parecia quase explodir de tanto que pulsava. Conrrado gemia de prazer e me chamava de bezerrinho.

Isso ninfetinha, chupa com vontade esse pauzão que eu quero te dar leitinho. Ao final daquela frase sinto aquele liquido viscoso e quente tomar conta da minha boca, um sabor suave, fui engolindo cada gota.

Com aquele pau ainda meia bomba depois de gozar ele me ordena: Agora vem cá ninfetinha, vem aqui que eu quero comer esse cuzinho delicioso que vc tem.

Me coloquei de quatro novamente na beirada da cama, empinei bem alto a minha bunda e pedi: Vem Conrrado, enfia essa pirocona aqui no meu cuzinho vai.

Ele então se aproxima de mim, pega um pouco daquela pomada para lubrificar e lambuza todo o meu cuzinho, que nessa hora piscava involuntariamente, com sua pica novamente dura ele começa a forçar a entrada do meu cuzinho.

Isso putinha, faz força pra ele entrar gostoso, vou te comer bem devagar.

Quando a cabeça daquele pau passou, senti um leve dor, mas que foi passando a medida que ia entrando mais, quando senti o seu saco encostando na minha bunda ouço o Conrrado falar: Pronto neném, meu pau já está atolado no seu cuzinho, ta tudo dentro de vc putinha.

Eu sentia um tesão que nunca imaginei sentir naquele momento, e pedi pra ele: Vem me come gostoso agora vai.

Conrrado começou a meter bem devagar, tirava quase toda aquela rola pra fora e depois empurrava tudo de novo, aquele entra e sai foi aumentando de ritmo, e meus gemidos estavam meio altos: Ahhh Ahhh Ahhh que delicia de piroca, mete mete..

Conrrado falava: Isso putinha tá gostando? Então toma mais pica toma, toma toma. Nem estávamos preocupados com os outros dois amigos que dormiam no quarto de baixo.

Conrrado ficou naquele movimento frenético por mais uns 15 minutos, depois me mandou ficar deitado na cama de frango assado, dizendo: Vira assim de frente, quero que vc goze junto comigo, quero ver esse seu pintinho todo meladinho de porra.

Ele então recomeça a meter e com dois dedos como se fossem uma pinça ele batia uma punhetinha pra mim. Isso putinha tá gostoso tá? Senti toda a piroca que vc gostou tanto, ele e só sua.

Eu gemia muito gostoso: Ahh Ahh Ahh ai que delicia. Comecei a gozar na minha barriga com aquela punhetinha e as estocadas do Conrrado no meu cuzinho, ao ver que eu estava gozando e retira sua piroca de uma vez só do meu cuzinho e começa a gozar Tb em cima de mim, fazendo com que o seu gozo se misturasse ao meu. Ahhhhhhh Ahhhhh toma leitinho toma minha putinha, gemia o Conrrado.

Depois daquele momento, fomos tomar um banho juntos, e fomos dormir na mesma cama...

No dia seguinte nos demos conta que tínhamos a companhia de mais dois amigos naquela casa, mas eles não pareciam ter desconfiado de nada..

O Conrrado me proporcionou um dos maiores prazeres que já tive.

Até a próxima...


Autor: Branquinho Curioso
E-mail - branquinhocurioso@bol.com.br
SKYPE - Não Divulgado
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta.