Bom dia caros amigos leitores.

Esse será o meu primeiro conto aqui. Será um conto verídico e espero que gostem.

Deixa eu me apresentar. Sou moreno claro, cabelos e olhos castanhos claros, tenho 1.84cm, 90kg, discreto, poucos pelos e muito safado em cima da cama, curto muito mais ser passivo do que ativo mas nada impede que eu coma um cuzinho de macho.

Vamos ao conto.

Há um tempo atrás o carro da firma arriou a bateria e chamaram um mecânico da oficina que tem aqui perto e veio justamente o dono.

Um cara branco, estatura mediana, corpo normal, branco, com pelos por todo o corpo, deu para perceber pois ele estava de bermuda e camiseta, onde me mostrou seus pelos e eu adorei apesar de já o conhece-lo de vista por estar sempre passando de fronte a oficina, mas nunca imaginei que ele fosse o dono.

Ele veio examinou o carro constatou que realmente era a bateria que tinha arriado e levou a mesma para dar uma chupeta.

Umas 3 horas depois ele trouxe a bateria e instalou no veículo e nessa ficou conversando com meu patrão e eu ouvi sem quer a conversa, pois eles estavam perto da janela da sala onde trabalho.

O papo foi sobre carro e ele disse ser casado e que a esposa tinha cismado de comprar um carro novo e que queria uma Suzuki. Ficaram ali conversando por um tempo e ele se foi.

Depois disso passou-se um tempo e eu passei pela oficina e ele me viu e me chamou.

Ele perguntou se o carro estava perfeito e se estava tudo bem comigo.

Estranhei a pergunta, pois eu mal falei com ele no dia que ele esteve na firma mexendo no carro. Disse que estava tudo tranquilo e segui meu caminho.

No dia seguinte passei novamente na frente da oficina no fim do dia indo embora e ele estava no portão para fechar a oficina e quando me viu puxou assunto. Parei e já com o radar ligado imaginei esse cara ta afim de algo.

Não deu outra, depois de uns 5 minutos de papo no portão da oficina ele perguntou se eu estava com pressa ao qual respondi que não e ele me convidou para entrar. Aceitei o convite e entrei e ele fechou o portão e foi para seu escritório.

Ao entrarmos ele foi direto.

_ Cara antes de mais nada quero te pedir desculpas pelo o que eu vou falar agora e espero que se não tiver nada haver você não se chateie e fique na sua.

_ o quê?

_ É que acho vc um tesão e sempre te observei passando aqui na porta da oficina, mas vc nunca deu brecha e sempre fiquei na minha, e no dia que estive na sua firma percebi que vc me deus umas olhadas de cobiça.

Não respondi nada e simplesmente o agarrei e lhe taquei um beijo que foi correspondido com muitas passadas de mãos. Em pouco tempo já estávamos nus em um 69 alucinante.

Ele chupava meu pau com uma maestria desigual, ele enfiava todo dentro da boca até o fundo de sua garganta sem engasgar, e olha que eu tenho um pau de 18cm, não é grosso mas também não é fino.

E para não ficar para trás eu também enfiava o dele todinho dentro da boca que era maior que o meu e mais grosso, o pau dele deve de ter uns 20cm, nunca perguntei, pois depois disso eu estou sempre trepando com ele.

Aos poucos eu fui descendo pera o seu saco e cai de boca no olho do seu cu. Um cu branquinho, peludo, bunda carnuda e peluda também, oque me deixa louco, pois adoro um cu de macho peludo.

Ficamos nessa por uns 10 minutos até que me levantei, botei ele debruçado em cima da mesa, vesti uma camisinha e fiquei brincando na portinha de seu cu até que ele pediu que eu o comesse bem gostos.

Lógico, não esperei ele pedir novamente e forcei a entrada do pau naquele buraquinho, peludo e gostoso. Quando a cabeça passou ele soltou um suspiro, perguntei se estava doendo e ele respondeu que não que eu podia continuar.

Fui enfiando o meu pau bem de vagar cm por cm para dentro daquele cu. Depois que eu estava todinho dentro dele tirei quase tudo e enfiei novamente e fiquei assim por um tempo.

Enfiando e tirando bem de vagar e ele gemendo e me chamando de safado e dizendo que estava muito bom me dar o cu se ele soubesse que eu gostava já tinha me cantado a mais temo.

Aos poucos fui acelerando os movimentos e comecei a comer aquele cu com mais força até que ele disse que queria gozar. Sai de dentro dele e falei:

_Agora é minha vez.

Ele me deitou em cima da mesa, levantou a minhas pernas me deixando na posição de frango assado, encapou o pau e meteu para dentro. Ele enfiou tudo de uma vez me fazendo soltar um gemido de dor e prazer ao mesmo tempo.

Ao contrário de mim ele já começou a meter com força, com vontade e isso me levou a loucura de tesão. Depois de uns 5 minutos metendo em mim ele disse que não aguenta e que iria gozar.

Pedi para ele tirar o pau de dentro de mim. Ele tirou eu retirei a camisinha e pedi que ele gozasse na minha cara.

Ele deu umas 3 batidas de punheta e jogou todo o seu leite na minha cara, um leite grosso e farto, quentinho e delicioso que me deixou completamente lavado.

Quando eu anunciei o meu gozo ele simplesmente abocanhou meu pau e recebeu todo o meu leite na boquinha sem deixar escapar nem uma gota.

Ele se levantou e foi em direção ao banheiro para cuspir, eu o agarrei e lhe dei um beijo e peguei toda a minha porra de volta, afinal eu não iria desperdiçar o meu próprio leite.

ficamos ali jogado no sofá que tinha em seu escritório nos recuperando e depois tomamos um banho juntos e ele me levou até em casa.

Hoje nós somos amantes, pelo menos duas vezes por semana ele me trás em casa ou eu passo na oficina e nós nos amamos bem gostoso.

Se vc for do Rio de Janeiro e curtir uma boa putaria entre dois machos e se for preferencialmente ativo e quiser me comer é só me deixar um recado.



Autor: portomedeiros
E-mail - Não Divulgado
SKYPE - Não Divulgado
FONTE - Conto Retirado da Internet.